fbpx
Theravada

Você é feliz?

Esta é uma pergunta que frequentemente fazemos aos outros ou fazemos a nós mesmos: “Você é feliz?” E cada um responde conforme suas próprias ideias sobre o que é “felicidade”. Cada pessoa tem um conceito diferente, não? Para mim é passar férias nas Maldivas, para você é comprar um carro novo, para nosso amigo é arranjar uma namorada. Mas será que tem algo em comum em todas as nossas ideiais?

O venerável Ajahn Buddhadasa diz que há dois tipos de felicidade: a sensorial e a espiritual: “Podemos ver que existem pelo menos dois tipos de felicidade, a felicidade utilizada na linguagem popular diária e a felicidade na linguagem do Dhamma“.

Dois tipos de felicidade? Felicidade, então, não é tudo igual? Sinto-me alegre, estimulado, o riso desabrocha em minha face… Bem… depende de qual “linguagem” você está usando neste memento. A maior parte das pessoas só conhece uma linguagem. Um vocabulário muito limitado.

Ajahn Buddhadasa diz: “Por linguagem popular, queremos dizer a linguagem comum e cotidiana das pessoas. Nesse tipo de linguagem, felicidade é algo em que podemos nos embebedar, podemos ter uma paixão cega por ela, enlouquecer, se perder, e… isto é muito importante… ela morde seu dono. Esta é a felicidade na linguagem popular. A felicidade que intoxica, obceca, engana, e que no fim ‘morde seu dono’“.

Felicidade morde? Morde sim. A felicidade que geralmente as pessoas têm em mente é baseada em algo que elas querem. É uma felicidade condicionada, dependente de aquisição. Quer dizer, se você obtém o que deseja, você fica “feliz”. Se não obtém… você já sabe o que sente, não?

Se olharmos de perto esta felicidade da linguagem popular, comum e medíocre“, diz o mestre tailandês, “ela não é a verdadeira felicidade. O que ela realmente é, é um tipo de prazer falso e enganador. É um tipo de prazer atrativo e delicioso que engana. A maioria das pessoas toma isso como felicidade. Este prazer falso, este prazer enganador está sempre pronto a se tornar uma isca e nos apanhar em armadilha“.

A felicidade baseada na aquisição certamente é prazerosa. Por que ele diz que é falsa? Ela é falsa porque confundimos esse tipo de prazer com a felicidade. Significa que fomos enganados. Achamos que as férias nas Maldivas, o carro novo e a namorada são felicidade. mas não são. São apenas o prazer de ter desejos satisfeitos. Mas logo passa, e aí precisamos continuamente ver as fotos de nossa viagem, comprar novo carro no ano que vem e o prazer da conquista da namorada passa e você não sabe o que fazer para ter essa sensação novamente. Estão entendendo como essa é uma felicidade que morde?

Ajahn Buddhadasa completa: “Assim todos os homens comuns que estão em busca destes prazeres enganosos estão sendo apanhados por esta isca. Este é o estado dos homens do mundo sendo enganados e atraídos pela isca dos prazeres mundanos ou prazeres enganosos. Esta é a felicidade na linguagem popular. Esta felicidade mundana sempre é algo material e físico, depende de corpos e objetos materiais. Não é um tipo mental ou espiritual de felicidade. Por isso, o preço que se paga por esses tipos de prazeres enganosos é muito alto, um verdadeiro fardo a ser carregado. E, então, eles conduzem a todos os tipos de trabalhos, competições e problemas para aqueles que buscam esse tipo de felicidade. O último ponto a ser dito sobre esta felicidade na linguagem popular é que ela é a base do egoísmo. Tão logo as pessoas se entregam a esses tipos enganosos de prazeres, isso se torna egoísmo, criando todos os problemas a ele associados“.

Quando achamos que ser feliz vem de obter algo, causamos uma grande confusão dentro de nós. Passamos todos os dias trabalhando e nos esforçando muito para conseguir o que desejamos. (PS: Nossos desejos são inexauríveis. Isso mesmo, não acabam nunca). E a ansiedade e as preocupações não ficam só conosco. Os outros passam a ser meios para nossas aquisições. “Por que ninguém me ajuda a ser feliz? O que há de errado com este povo?” Resposta: Todos estão pensando a mesma coisa, todos estão olhando para o próprio umbigo.

Se esse tipo de felicidade é complicado, haveria então algum outro tipo?

Mais escritos de Ajahn Buddhadasa podem ser encontrados:


VOCÊ GOSTARIA DE TER UM ACOMPANHAMENTO ONLINE, EM GRUPO, COM UM TUTOR, DENTRO DE UMA ESTRUTURA ORGANIZADA, PASSO A PASSO COM ENSINAMENTOS BUDISTAS DO BÁSICO AO AVANÇADO?


ESSE CONTEÚDO TE BENEFICIOU OU GEROU ALGUM VALOR? SE A RESPOSTA FOR SIM, PODEMOS PEDIR SEU APOIO?

O Sobre Budismo é um projeto sem fins lucrativos. Nossa missão é compartilhar a sabedoria dos ensinamentos do Buda, mestres e mestras contemporâneos - inspirar, confortar, apoiar e esclarecer os temas budistas aos leitores. Nossa aspiração é manter o SobreBudismo.com.br disponível para todos, inspirando e apoiando o acesso a todos os interessados, de iniciantes e simpatizantes a meditadores comprometidos. Você compartilha da nossa aspiração? Não podemos fazer isso sem o seu apoio.

O Sobre Budismo é independente, imparcial, voluntário, sem fins lucrativos e é suportado por leitores e ouvintes como você. Faça uma doação financeira e ajude a manter todo o nosso conteúdo gratuito e acessível a todos. Você ainda receberá recompensas por isso.


RECEBA NOVIDADES POR EMAIL

Para receber dicas, citações, podcasts, artigos, eventos, dicas de leitura, indicação de filmes, cursos online e presenciais, cadastre-se em nossa lista:

*Você também receberá um manual de meditação passo a passo para iniciantes no email de confirmação.

   

GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, conteúdo e conhecer outros simpatizantes budistas? Entre no grupo do Telegram clicando no link:
https://t.me/sobrebudismo


Sou praticante do budismo desde 2011, quando criei o projeto Sobre Budismo. Minha missão é te ajudar a despertar sua verdadeira natureza iluminada através dos ensinamentos dos mestres, mestras e do Buda para, assim juntos, beneficiarmos todos os seres.

2 Comentários

Deixe o seu comentário