fbpx

Sobre Budismo : Budismo, meditação, sabedoria e compaixão para o cotidiano

Por que nossos pensamentos e intenções são tão importantes?


By Equipe Sobre Budismo

O segundo aspecto do Caminho Óctuplo do Budismo é a Intenção Certa ou o Pensamento Correto, ou samma sankappa em Pali. Visão Correta e Intenção Correta juntas são o “Caminho da Sabedoria”, as partes do caminho que cultivam a sabedoria ( prajna ). Por que nossos pensamentos ou intenções são tão importantes?

Nós tendemos a pensar que os pensamentos não contam; apenas o que realmente fazemos é importante. Mas o Buda disse no Dhammapada que nossos pensamentos são os precursores de nossas ações (tradução de Max Muller):

“Tudo o que somos é o resultado do que pensamos: é fundamentado em nossos pensamentos, é composto de nossos pensamentos. Se um homem fala ou age com um pensamento maligno, a dor o segue, enquanto a roda segue o pé do boi que puxa a carruagem.
“Tudo o que somos é o resultado do que pensamos: é fundamentado em nossos pensamentos, é composto de nossos pensamentos. Se um homem fala ou age com um pensamento puro, a felicidade o segue, como uma sombra que nunca o deixa “.

O Buda também ensinou que o que pensamos, junto com o que dizemos e como agimos, cria karma . Então, o que achamos é tão importante quanto o que fazemos.

Três tipos de intenção correta

O Buda ensinou que existem três tipos de intenção correta, que combatem três tipos de intenção errada. Esses são:

– A intenção da renúncia, que contraria a intenção do desejo.
– A intenção da boa vontade, que contraria a intenção da má vontade.
– A intenção de inofensividade, que contraria a intenção de prejudicar.

Renúncia

Para renunciar é o “desistir” ou “deixar ir” de alguma coisa. Praticar a renúncia não significa necessariamente que você deve doar todas as suas posses e viver em uma caverna. A verdadeira questão não são objetos ou posses, mas nosso apego a eles. Se você doar coisas, mas ainda estão ligadas a elas, você realmente não as renunciou.

Às vezes, no budismo, você ouve que monges e freiras são “renunciados”. Fazer votos monásticos é um ato poderoso de renúncia, mas isso não significa necessariamente que os leigos não possam seguir o Caminho Óctuplo. O mais importante é não se apegar a coisas, mas lembre-se de que o apego vem de ver a nós mesmos e a outras coisas de maneira ilusória. Compreendemos plenamente que todos os fenômenos são transitórios e limitados – como diz o Sutra do Diamante.

“É assim que se contempla nossa existência condicionada neste mundo passageiro:
” Como uma minúscula gota de orvalho, ou uma bolha flutuando em um riacho;
Como um relâmpago em uma nuvem de verão,
Ou uma lâmpada bruxuleante, uma ilusão, um fantasma ou um sonho.
“Assim é toda a existência condicionada para ser vista.”

Como leigos, vivemos em um mundo de posses. Para funcionar na sociedade, precisamos de uma casa, roupas, comida, provavelmente um carro. Para fazer o meu trabalho eu realmente preciso de um computador. Entramos em problemas, no entanto, quando nos esquecemos de que nós e nossas “coisas” são bolhas em um fluxo. E, claro, é importante não pegar ou acumular mais do que precisamos.

Boa vontade

Outra palavra para “boa vontade” é metta , ou “bondade amorosa”. Cultivamos a bondade amorosa para todos os seres, sem discriminação ou apego egoísta, para superar a raiva, a má vontade, o ódio e a aversão.

Segundo o Metta Sutta , um budista deveria cultivar para todos os seres o mesmo amor que uma mãe sentiria por seu filho. Este amor não discrimina entre pessoas benevolentes e pessoas maliciosas. É um amor em que “eu” e “você” desaparecem, e onde não há possuidor e nada a possuir.

Inofensividade

A palavra em sânscrito para “não prejudicar” é ahimsa , ou avihiṃsā em Pali, e descreve uma prática de não prejudicar ou violentar qualquer coisa.

Não ferir também requer karuna ou compaixão. Karuna vai além de simplesmente não prejudicar. É uma simpatia ativa e uma vontade de suportar a dor dos outros.

O Caminho Óctuplo não é uma lista de oito etapas discretas. Cada aspecto do caminho suporta todos os outros aspectos. O Buda ensinou que a sabedoria e a compaixão surgem juntas e se apoiam mutuamente. Não é difícil ver como o Caminho da Sabedoria da Visão Correta e da Intenção Correta também apóia o Caminho de Conduta Ética da Fala Correta , Ação Correta e Modo de Vida Correto . E, claro, todos os aspectos são apoiados por Esforço Correto , Atenção Plena Correta e Concentração Correta , o Caminho Disciplina Mental.

Fonte:https://www.thoughtco.com/right-intention-450069

Junte-se a milhares de leitores rumo a iluminação





Nos encontre também: Youtube | Instagram | Podcast | Facebook