Sobre o autor

Olá, sou o Leonardo Ota, 34 anos, fundador do projeto Sobre Budismo.

Minha companheira Brenda meu filho Gabriel e eu =)

COMO TUDO COMEÇOU

Em 2011, quando eu já tinha uma afinidade com o oriente e também estava passando por situações particulares em relação a saúde do meu pai, tive que parar minha vida para cuidar dele sozinho por quase 2 anos.

Nesse período difícil, inconscientemente, comecei a pesquisar sobre meditação e acabei caindo no youtube em um vídeo de uma palestra sobre a vida do Buda, onde o mestre Lama Padma Santem explicava todas as principais passagens da vida do Buda de maneira muito descontraída e didática.

Entrei em contato com a organização perguntando como poderia praticar e me recomendaram um instrutor para me guiar nas práticas. Ele sugeriu que eu fosse em um retiro em SP para conhecer melhor os ensinamentos.

Eu fui e fiz o meu primeiro retiro do dia 25 até 27 de agosto de 2011. Não conhecia ninguém, mas mesmo assim eu fui e foi uma experiência maravilhosa. Desde então eu pratico o budismo, nunca mais parei.

Depois desse primeiro contato eu fui me aprofundando e praticando, indo para vários retiros de 3 a 5 por ano com vários mestres.

FUNDAÇÃO DO CENTRO DRUKPA UBERLÂNDIA

Em 2013 conheci o Lama Jigme Lhawang pelo Facebook e pedi para ser aluno dele, ele disse que tudo bem, que poderia me orientar. Ele estava chegando de um treinamento tradicional dentro da linhagem Drukpa, concluindo duas graduações em uma universidade para monges e ficou lá por 10 anos entre a Índia e o Nepal.

Ele é brasileiro e iniciou sua trajetória aqui em nosso país, mas com 22 anos foi para a Índia iniciar seu treinamento, após 10 anos ele foi apontado com Lama (Guia espiritual) por Sua Santidade Gyalwang Drukpa, chefe da linhagem Drukpa e enviado de volta ao Brasil para representá-lo e também iniciar a comunidade Drukpa Brasil.

Eu sempre tive essa vontade de ajudar e de fazer parte de centros budistas e sabendo que o Lama Jigme Lhawang estava iniciando uma comunidade budista aqui no Brasil, me ofereci, junto com algumas outras pessoas, nessa missão, para fazer o que fosse preciso. Sou Webdesigner e Calígrafo, então ofereci minhas habilidades como Webdesigner e comecei a ajudar no site, redes sociais, divulgação de eventos.

No fim de 2013 ele perguntou se eu não teria interesse em iniciar e coordenar um Centro Drukpa em Uberlândia. Eu já possuía essa vontade, então disse sim no mesmo momento e na semana seguinte divulguei as primeiras práticas e o movimento se iniciou na minha própria casa.

As pessoas foram chegando cada vez mais e o espaço foi ficando pequeno, então mudamos para outras salas cada vez maiores.

O Centro Drukpa Uberlândia cresceu muito e se desenvolveu bastante. Hoje ele possui vários facilitadores e práticas semanais, muitas pessoas se beneficiam e eu fico super feliz de ter feito parte da fundação e desenvolvimento de um centro de prática budista. Veja como está hoje:

Drukpa UberlândiaLama Jigme Lhawang conduzindo práticas no centro Drukpa Uberlândia/MG

Drukpa UberlândiaPúblico praticando meditação no Centro Drukpa Uberlândia

VINDA DE S. S. O 12º GYALWANG DRUKPA

Fiz parte da linhagem Drukpa do Budismo dos Himalais. Um linhagem Vajrayana/Tântrica por 7 anos.

nesta ocasião, recebemos Sua Santidade o 12º Gyalwang Drukpa, o líder da linhagem. Tivemos vários ensinamentos e empoderamentos em 2014.

Também tomei refúgio (como se fosse um batizado ou uma forma de você se tornar budista) com Sua Santidade Gyawlang Drukpa e recebi um nome espiritual JIGME WANGCHUCK que significa, Poderoso senhor do destemor:

RETIROS E O RETIRO DE 21 DIAS EM SILÊNCIO

Em 2014 fiz um retiro em silêncio durante 21 dias sob orientação do meu mestre Lama Jigme Lhawang. Foi uma experiência incrível. Eu e mais 7 pessoas fizemos juntos. Fazíamos 9h de práticas diárias entre meditações, leitura, estudos de textos budistas, preces e recitação de mantra.

Também fiz retiros com vários mestres como Sua Santidade Gyalwang Drukpa, Sua Eminência Gyalwa Dokhamp, Jetsunma Tenzin Palmo, Sua Eminência Gyaltsen Tulku Rinpoche, Sua Eminência Kunga Rinpoche, Lama Jigme Lhawang, Lama Padma Santem, Alan Wallace, Monja Coen, Monge Dengaku. Foram muitas experiências incríveis.

VINDA DE S. EMA GYALWA DOKHAMPA 2015

Em 2015 o Drukpa Brasil recebeu mais uma vez S. Ema. Gyalwa Dokhampa e algumas pessoas, incluindo eu, foram apontadas para a diretoria do Drukpa Brasil:

Recebendo oficialmente funções e responsabilidades administrativas dentro da comunidade Drukpa Brasil.

S. Ema. Gyalwa Dokhampa, regente da linhagem Drukpa da qual fiz parte de jan 2013 até jan de 2020.

VINDA DE JETUNSMA TENZIN PALMO AO BRASIL EM 2017

Tive o mérito de também ajudar a organizar a vinda da incrível mestra da linhagem Drukpa, Jetusunma Tenzin Palmo ao Brasil.

Que ser incrível, uma grande inspiração para todos os praticantes espirituais de todas as tradições:

RE- FUNDAÇÃO DO CENTRO DRUKPA BRASÍLIA

Em janeiro de 2017, devido a minha mudança, de Uberlândia/MG para Brasília/DF, minha coordenação do centro Drukpa Uberlândia foi passada para outros queridos amigos e assumi a coordenação do centro Drukpa Brasília.

Ajudei na reabertura do centro Drukpa Brasília sob orientação do Lama Jigme Lhawang, pois devido a ausência de um local de prática o grupo anterior havia se encerrado temporariamente.

Com ajuda de vários amigos que fiz no ano de 2017 recomeçamos o grupo em Brasília.

Fui coordenador e facilitador de práticas de meditação e estudos budistas no Centro Drukpa Brasília/DF por 3 anos.

Nossa linda diretoria:

Diretoria Drukpa Brasília/DFNo centro nosso professor e orientador Lama Jigme Lhawang, da esquerda para a direita em cima: Nicolas, Danilo, Eu, Daniel e Petrucia, abaixo do Lama, Paloma e Bruno. Faltou só o João. =) (Imagem tirada no evento com a nossa mestra Jetsunma Tenzin Palmo).

Em 2018 tivemos o mérito de receber e organizar retiro e práticas com S. Ema. Kunga Rinpoche em nosso centro.

A QUE ESCOLA PERTENÇO

De junho de 2011 a dezembro de 2012 acompanhei o Lama Padma Santem, praticando, estudando e frequentando retiros com ele.

De janeiro de 2013 a jananeiro de 2020, fiz parte da diretoria e Sangha Drukpa Brasil, sob orientação do Lama Jigme Lhawang.

Agradeço aos dois Lamas que fazem parte da minha história, não teria chegado até aqui sem vocês.

MEU SENSEI (PROFESSOR) MEIHO GENSHÔ SENSEI

De fevereiro de 2020 em diante pedi para ser discípulo de Genshô Sensei e ele aceitou.

Sensei é orientador espiritual e fundador da Comunidade Zen-Budista Daissen, com sede em Florianópolis e quase 30 centros de meditação pelo Brasil e América do Sul.

É sucessor do Superior Geral da Escola Soto Zen Shu da América do Sul, o mestre japonês Dōshō Saikawa Roshi, numa linhagem sem interrupção há mais de 2500 anos, desde o tempo do Buda histórico.

Monge Genshō iniciou no caminho budista através de Igarashi Roshi, em 1973, no Rio Grande do Sul. Foi ordenado monge na forma limitada de ordenação particular em 2001; logo após passou para a orientação de Moriyama Roshi, de quem foi professor assistente, até o mestre voltar para o Japão em 2005. Foi quando conheceu Saikawa Roshi, que em 2011 lhe deu a Transmissão dos Ensinamentos, tornando-o um de seus discípulos.

Passou por períodos de treinamentos nos Estados Unidos e Japão e hoje é também Missionário Internacional da Escola Japonesa Soto Zen. Tem oficiado casamentos e bençãos para crianças e recém-nascidos. É autor do livro, O Pico da Montanha é onde estão os meus pés, traduzido para o inglês, francês, espanhol e alemão.

Atualmente viaja pelos centros de meditação difundindo a prática da Soto Zen Shu adaptado à mente ocidental, com ênfase na prática da meditação Zen-Budista.

Na vida leiga  desenvolveu sistemas para diversas empresas baseado nas teorias expressas no seu livro, O Princípio dos Interesses Coincidentes. Construiu um legado de sucesso como consultor e palestrante com foco em gestão, trabalho no qual, há mais de 30 anos, aplica conceitos do modo de vida budistas e os ensinamentos que pôde vivenciar com sua prática.

COMO CONHECI A MAIORIA DAS TRADIÇÕES E MESTRES BUDISTAS DO BRASIL

Em 2012 montei um grupo de discussão pelo Facebook e conheci vários professores que ajudam até hoje a cuidar do Grupo.

Em 2015 convidei vários professores do Budismo de várias escolas para escrever no portal Sobre Budismo, eles aceitaram e escreveram muitos artigos, foi uma união muito linda. Conheci mestres das tradições Theravada, Zen, Tibetano, Nichiren e Terra Pura.

Também fiz entrevistas através de podcasts e me aproximei deles com a intenção de propagar o Budismo no Brasil para que mais pessoas pudessem ter acesso a esses maravilhosos ensinamentos e mestres autênticos.

MEU OBJETIVO COM O SOBRE BUDISMO

Minha aspiração sempre foi a de ser uma ponte entre o vasto universo budista e os simpatizantes e iniciantes no budismo. Todos os meus esforços são para que as pessoas tenham acesso aos ensinamentos autênticos e sérios de mestres e escolas budistas tradicionais que beneficiam tanta gente ao redor do mundo. Aspiro que pelo menos alguma coisa desse projeto te beneficie de alguma forma.

E volto a repetir, todos os méritos desse trabalho são dos meus professores e dos ensinamentos do Buda.

O Sobre Budismo vai muito além do Leonardo Ota.

MEU ESTILO DE VIDA

Atualmente trabalho no Sobre Budismo integralmente gerando conteúdo gratuito em várias plataformas diferentes.

Tenho 2 filhos, então também dedico meu tempo a família.

Ajudo na divulgação da minha Sangha Daissen Ji e trabalho pela divulgação do Dharma de Buda.

Gosto muito de ler, de estudar e praticar Zazen.

PODCAST ILUMINAÇÃO DIÁRIA

Em 2017 criei o Podcast Iluminação Diária, para acessar CLIQUE AQUI, que foi a forma como encontrei de disseminar esses ensinamentos.

Até o momento já gravei mais de 200 podcasts e recebo diariamente mensagens de pessoas relatando como esse trabalho é benéfico.

Esse trabalho com o Podcast e o Sobre Budismo é totalmente voluntário e independente, então se você deseja apoiar, CLIQUE AQUI.

CALIGRAFIA TIBETANA

Jigme Wangchuck - Sobre BudismoCriei esta mandala com um mantra de purificação do Karma negativo repetido dezenas de vezes.

Também estudo e pratico caligrafia tibetana como treinamento da mente desde 2013. A arte contemplativa sempre me fascinou e como ela está ligada aos ensinamentos de Buda, fiz um casamento perfeito entre e a arte e os ensinamentos de Buda.

Meus professores de caligrafia tibetana são Tashi Mannox (caligrafia tibetana) e Lama Jigme Lhawang (língua tibetana e meditação). Com Tashi já fez workshops na Itália (em Veneza e na Toscana em 2014) e com o Lama Lhawang estuda a língua tibetana e faz retiros de meditação. De ambos recebe orientação direta com frequência de maneira pessoal ou virtual.

Já apliquei workshops em Minas Gerais, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Lima no Peru.

Também ofereci em SP em Julho de 2017 um workshop no Tibet House Brazil, projeto criado por Sua Santidade o 14º Dalai Lama para a preservação da cultura tibetana.

Sobre o meu trabalho com Caligrafia Tibetana você me encontra:
Site: https://jigmewangchuck.com/
Instagram: @jigmewangchuck108
E-mail: jigmewangchuck108@gmail.com


Para entrar em contato comigo, escreva para: contato@sobrebudismo.com.br

6 comentários em “Sobre o autor”

  1. Leonardo, gostei muito da sua história e foi por causa dela que cheguei à linhagem Drukpa e estou começando a praticar o budismo. O que te fez mudar para o Zen Budismo?

  2. Namaste! Há alguns anos passados já tinha encontrado o seu podcast em um tablet. Os anos se passaram e agora novamente os nossos caminhos se cruzaram. Estou ampliando os meus estudos com a transição recentemente da minha esposa. Acredito que em algum momento, em um passado longínquo, que se perde nas brumas do tempo, eu mantive algum contato ou participei do budismo, pois nessa vida sempre tive uma inclinação para o budismo. Estava na busca e encontrei. O teu trabalho é de alta iluminação e importante para milhares de pessoas que estão na busca. Vou repassar o site do podcast para outras pessoas que comungam comigo pelos mesmos ideais. Gratidão e namaste!

  3. Bom dia! Namastê! Excelente a tua maneira de se expressar. Claro e objetivo! Tento ser budista no dia a dia e aplicar alguns ensinamentos. É difícil mas não impossível. Recentemente a minha esposa, guerreira, companheira e mãe dos meus dois filhos fez a sua transição. Doravante vou me aprofundar um pouco mais nos ensinamentos deixados pelo Buda, o qual sou simpatizante a décadas. Também vou apoiá-lo nesse empreendimento extremamente necessário nos dias de hoje, tão tumultuados e repleto de violência e outras mazelas. Namastê! Gratidão!

Deixe uma resposta para Wellington Jorge Cavalcanti Lundgren Cancelar resposta