O Que Acontece Com Quem Morre?

Tem gente que responde que quando morremos viramos lixo. É um pensamento um tanto quanto materialista, não é?  Na realidade, não seremos exatamente lixo e sim tornar-nos-emos cinzas. Ou seja, a verdade é que seremos cinza e o termo lixo é uma concepção relativa. Pois o lixo refere-se àquilo que não serve mais ou àquilo que se tornou descartável. Se o fim do ser humano é lixo, a vida seria o caminho para tornar-se lixo.

Seja como for, por que nós perguntamos: o que acontece com quem morre? Provavelmente isso nasce da insegurança de não saber de onde viemos e para onde vamos, da dúvida da nossa própria presença no presente. Ou seja, quando indagamos de onde viemos e para onde iremos, na verdade estamos questionando nossa própria existência atual.

Não conseguindo sequer entendermos nossa existência presente… Essa dúvida faz surgir a interrogação sobre o pós morte: O que será que acontecerá quando eu morrer?

Segundo o conceito de transmigração (vidas sucessivas), tradição da Índia antiga, explica-se a crença de existência de alma imortal; como um ciclo de renascimentos. Quer dizer, com votos de um bom renascimento futuro, agüente o sofrimento atual e acumule méritos para a próxima vida.

No âmbito do Japão acredita-se que o falecido torna-se espírito. E que quem está vivo deve cumprir determinado rito memorial, rito para repouso das almas e cerimônias ritualísticas com o receio de que o falecido não rogue praga e nem invoque calamidades. Esse pensar baseia-se na crença de que todo o bem estar, o bom destino e a boa sorte deste mundo está sob controle dos espíritos.

Tanto a idéia de transmigração da Índia, quanto à crença em espíritos do Japão, ambos comprometem a percepção da nossa própria ignorância que viemos edificando e que acaba resultando em contradições, em fraudes e erros da atualidade.

Em contrapartida o ensinamento do Budismo Shin Terra Pura prega que o ser humano é um ser comum carregado de paixões mundanas, que vive no corpo impermanente e que sempre responderá pelo passado; ciente do futuro questiona o presente, sem mascarar a verdade.

Indagar: – o que acontece com quem morreu, sem nem avaliar o presente que estamos vivendo significa estarmos apenas sentindo-nos perdidos na rota sem saída e permanecermos iludidos num mundo de enigmas.

 

Rev. Prof. Bunsho Obata

Reitor da Universidade Dobo (Kyoto, Japão)

Publicado por

Leonardo Ota

☸️Fundador do Sobre Budismo, praticante do Budismo desde 2011, venho ajudando simpatizantes e iniciantes no #Budismo a entrarem em contato com as práticas e os ensinamentos de #Buda (Dharma).

Acompanhamento Online (Tutoria)

Se na sua cidade não tem grupos budistas, você é simpatizante ou iniciante no budismo, não sabe por onde começar e quer uma direção para iniciar sua jornada, passo a passo, em grupo, do básico ao avançado, clique no botão a seguir:

14 comentários em “O Que Acontece Com Quem Morre?”

    1. Não, não respondeu. E por que você quer saber? O que o texto diz é: “preocupe-se com o agora, o que vem depois não importa”. Se preocupar com a morte não é uma questão budista, pode ser para outras religiões, mas não é o foco do budismo. Ele não pode afirmar o que vai acontecer com vc depois de morrer, pq isso depende 100% do seu karma. Rev. Mauricio Hondaku

  1. A linha do zazen budista disse que somos anátema (sem alma) e que quando morremos viramos cinza e a energia que habita em nossa corpo vai parar no universo. Correto? Existem outras linhas do budismo que não acreditam em reencarnação? Grato.

  2. Realmente Terra Pura o texto não fala em reencarnação, mas fala em renascimento (vidas sucessivas). Indicaram-me a leitura do Livro Tibetano do Viver e do Morrer, do Rinpoche. O Lama Padma Samten nos diz que “falarmos de vida também é falar de morte”. De qualquer forma grato pelas informações. Um texto sempre é polissêmico, engendra muitas interpretações. Ainda bem que temos canais como esse para trocarmos nossas dúvidas, mesmo que algumas não possam ser resolvidas mesmo, com nos ensinam alguns koans. Grato. Namastê.

    1. Ola Samuel (Aqui é o Rev. Mauricio Hondaku), a vida sucessiva tem a ver com nossos renascimentos sucessivos nos 6 Reinos de Existencia. No fim, o texto é um “cutucão” pois muitos se preocupam com a morte antes de se preocupar com a vida. Lama Samten sempre diz tb que a vida é extremamente preciosa e que devemos protege-la e vive-la intensamente. É o que está intrinseco no texto. Obrigado pela sua audiencia! Espero que curta os proximos textos dos outros autores também. Que tenhamos todos um ótimo Ano do Cavalo! /\

  3. “A morte é uma parte de todas as nossas vidas. Quer queiramos ou não ela está prestes a acontecer. Em vez de evitar pensar sobre isso, é melhor entender o seu significado. Todos nós temos o mesmo corpo, a mesma carne humana, e, portanto, vamos todos morrer. Se você passar a vida excessivamente preocupado com os assuntos temporários desta vida e não fizer nenhuma preparação para a morte, então no dia em que ela vier você não será capaz de pensar em nada, exceto o seu próprio sofrimento mental e medo, e não terá oportunidade de praticar qualquer outra coisa.”

    Dalai Lama

  4. muito bem reverendo, na sua posição aceitar é inteligencia mesmo alguem não ser certo, mas concordo com as opiniões de que interessa, acho tal bobagem tremenda, mas veja o lado bom como o ser humano ainda é atrasado pois discuções são varias, olhe só se a morte é motivo de discução.

Deixe o seu comentário