Desfazendo equívocos

Desfazendo equívocos - Blog Sobre Budismo

O texto a seguir foi escrito pela Reverenda Yvonette Silva Gonçalves.

––

Se você quer milagres, não procure o Budismo. O supremo milagre para o Budismo é você lavar seu prato depois de comer.

Se você quer curar seu corpo físico, não procure o Budismo. O Budismo só cura os males de sua mente: ignorância, cólera e desejos desenfreados.

Se você quiser arranjar emprego ou melhorar sua situação financeira, não procure o Budismo. Você se decepcionará, pois ele vai lhe falar sobre desapego em relação aos bens materiais. Não confunda, porém, desapego com renúncia.

Se você quer poderes sobrenaturais, não procure o Budismo. Para o Budismo, o maior poder sobrenatural é o triunfo sobre o egoísmo.

Se você quer triunfar sobre seus inimigos, não procure o Budismo. Para o Budismo, o único triunfo que conta é o do homem sobre si mesmo.

Se você quer a vida eterna em um paraíso de delícias, não procure o Budismo, pois ele matará seu ego aqui e agora.

Se você quer massagear seu ego com poder, fama, elogios e outras vantagens, não procure o Budismo. A casa de Buda não é a casa da inflação dos egos.

Se você quer a proteção divina, não procure o Budismo. Ele lhe ensinará que você só pode contar consigo mesmo.

Se você quer um caminho para Deus, não procure o Budismo. Ele o lançará no vazio.

Se você quer alguém que perdoe suas falhas, deixando-o livre para errar de novo, não procure o Budismo, pois ele lhe ensinará a implacável Lei de Causa e Efeito e a necessidade de uma autocrítica consciente e profunda.

Se você quer respostas cômodas e fáceis para suas indagações existenciais, não procure o Budismo. Ele aumentará suas dúvidas.

Se você quer uma crença cega, não procure o Budismo. Ele o ensinará a pensar com sua própria cabeça.

Se você é dos que acham que a verdade está nas escrituras, não procure o Budismo. Ele lhe dirá que o papel é muito útil para limpar o lixo acumulado no intelecto.

Se você quer saber a verdade sobre os discos voadores ou sobre a civilização de Atlântida, não procure o Budismo. Ele só revelará a verdade sobre você mesmo.

Se você quer se comunicar com espíritos, não procure o Budismo. Ele só pode ensinar você a se comunicar com seu verdadeiro eu.

Se você quer conhecer suas encarnações passadas, não procure o Budismo. Ele só pode lhe mostrar sua miséria presente.

Se você quer conhecer o futuro, não procure o Budismo. Ele só vai lhe mandar prestar atenção a seus pés, enquanto você anda.

Se você quer ouvir palavras bonitas, não procure o Budismo. Ele só tem o silêncio a lhe oferecer.

Se você quer ser sério e austero, não procure o Budismo. Ele vai ensiná-lo a brincar e a se divertir.

Se você quer brincar e se divertir, não procure o Budismo. Ele o ensinará a ser sério e austero.

Se você quer viver, não procure o Budismo, pois ele o ensinará a morrer.

Publicado por

Leonardo Ota

☸️Fundador do Sobre Budismo, praticante do Budismo desde 2011, venho ajudando simpatizantes e iniciantes no #Budismo a entrarem em contato com as práticas e os ensinamentos de #Buda (Dharma).

Acompanhamento Online (Tutoria)

Se na sua cidade não tem grupos budistas, você é simpatizante ou iniciante no budismo, não sabe por onde começar e quer uma direção para iniciar sua jornada, passo a passo, em grupo, do básico ao avançado, clique no botão a seguir:

23 comentários em “Desfazendo equívocos”

  1. Gostei muito do que li. Descubro a cada dia, que descobrir o budismo foi muito bom p mim. A cada dia entendo um pouco mais de mim, e ele me ajuda no caminhar. Gostei muito! Abraços!!

  2. Um texto maravilhoso que, de forma direta, desmistifica algumas questões do budismo e ajuda às pessoas a olharem de forma correta para essa filosofia ou visão de mundo.
    A questão é que eu sou ateu, e passei meus últimos anos me transformando numa pessoa sem fé, sem esperança, presa a negatividades, irritações, estresse, nervosismo, falta de compreensão, impaciência etc.
    Finalmente encontrei para onde correr, um jeito de me tornar melhor para mim, me tornar melhor para o mundo. Conhecer-me, mudar-me, antes de querer mudar o mundo.
    Grato a quem escreve e disponibiliza esse material na internet para nós.
    Obrigado a autora, e obrigado Leonardo Ota.

  3. TEXTO BELÍSSIMO A RESPEITO DO BUDISMO. SABE QUANDO VOCÊ TEM VONTADE DE ENQUADRAR VÁRIAS VEZES O MESMO TEXTO E PENDURAR POR AÍ PARA TODOS? TÃO BOM PODER ESCLARECER A QUEM INTERESSAR POSSA … OBRIGADA, MAIS UMA VEZ, PELO CARINHO NA PESQUISA DE UM TEXTO MARAVILHOSO COMO ESTE. _/_

  4. Muito bom esse texto, isso nos mostra a nossa verdadeira essência, o verdadeiro caminho, a compaixão com todos os seres. Quando estamos envolto nessa filosofia, conseguimos visualizar todo o nosso comportamento e conseguimos com isso melhorar nosso dia-a-dia. Sou eternamente grato a Shakamuni Buda por trazer esses ensinamentos até os dias de hoje e por fazer parte dessa maravilhosa filosofia (ou religião). Obrigado.

  5. Pelo que li, o único objetivo do Budismo é conhecer-se a si mesmo. Isso se consegue por outras formas, mais objetivas e menos cheias de rituais e filosofias complicadas.

    1. Olá, Francisco. Tudo bem?

      O Budismo não é uma filosofia, mas sim uma pratica e não é tão simples quanto parece. É preciso estudar e praticar e não somente ler um post e dai definir o que é o budismo. =)

      Sobre os rituais, me conte o que você faz em seu dia a dia que não seja um ritual, a maneira como nos vestimos, como comemos, como nos comportamos…

      Um abraço e muito obrigado pelo comentário.

      /

  6. O texto simplifica a essência do Budismo, que diga-se de passagem é maravilhosa: – “O ser é totalmente livre, por isso não pode reclamar das consequências de suas escolhas”…

  7. Muito bom ,excelente texto, o budismo é terra, é beleza e compaixão, nada new age, conhecimento sagrado, que pode iluminar o futuro para o mundo, mas sempre começando por nós e na prática do dia a dia, gostei demais!

Deixe o seu comentário