fbpx
Theravada

Aforismos de boas vindas

  1. Você chegou ao budismo para aprender? Se sim, lembre-se: aprenda ao invés de ensinar.
  2. Sempre que a realidade não bater com o que você leu ou com suas expectativas, não condene o professor ou a escola, investigue a natureza de suas expectativas e de suas leituras.
  3. Provavelmente o budismo não é bem como você pensa.
  4. Em algum momento seu orgulho vai se ferir. Aproveite a oportunidade. O dhamma é para homens e mulheres passíveis de treinamento. Quem não está pronto para isso, está no lugar errado.
  5. Não existe budismo sem ritual. Sentar para meditar é ritual, ler sutras ou suttas ou qualquer coisa equivalente é ritual.
  6.  Algumas tradições budistas são vegetarianas, outras não.  Dentro do theravada vegetarianismo não é obrigatório, veja o Jivaka sutta (Majjhima Nikaya 55). Devadatta, o cara que tentou matar o Buddha e acabar com o Sangha era defensor da obrigatoriedade mas ao questionar o Buddha, este disse que era uma boa, mas não se fosse por obrigação. O Buddha esmolava seu alimento, logo, tinha que aceitar o que colocassem na tigela, mesmo que tivesse alguma carne. Este é um tema recorrente e os argumentos são sempre os mesmos, nunca vi ninguém começar esse debate em redes sociais citando textos de várias tradições ou investigando como os budistas dos países budistas se alimentam, é sempre a partir de uma visão pessoal elevada à condição de verdade absoluta.
  7. Budismo e cristianismo não são a mesma coisa. Cristianismo acredita num paraíso eterno e em punições eternas, o budismo não; cristianismo acredita numa alma imortal, simples e substancial, o budismo não; o cristianismo acredita numa providência, os budistas acreditam no karma; pelo menos 600 anos separam Buddha e Jesus, em que pesem contatos ao longo dos séculos, as tradições se desenvolveram de modo próprio. É muito comum simpatizantes do budismo defenderem que Jesus era um iluminado; para os cristãos ele era o Filho de Deus, Verbo que se fez carne, Deus que andou e sofreu como nós. Percebe a diferença?
  8. Buddha recomenda que sejamos críticos e que investiguemos. Não confundamos isso com julgar os outros, seja praticante, professor ou escola. Apliquemos isso a nós mesmos também.

VOCÊ GOSTARIA DE TER UM ACOMPANHAMENTO ONLINE, EM GRUPO, COM UM TUTOR, DENTRO DE UMA ESTRUTURA ORGANIZADA, PASSO A PASSO COM ENSINAMENTOS BUDISTAS DO BÁSICO AO AVANÇADO?


ESSE CONTEÚDO TE BENEFICIOU OU GEROU ALGUM VALOR? SE A RESPOSTA FOR SIM, PODEMOS PEDIR SEU APOIO?

O Sobre Budismo é um projeto sem fins lucrativos. Nossa missão é compartilhar a sabedoria dos ensinamentos do Buda, mestres e mestras contemporâneos - inspirar, confortar, apoiar e esclarecer os temas budistas aos leitores. Nossa aspiração é manter o SobreBudismo.com.br disponível para todos, inspirando e apoiando o acesso a todos os interessados, de iniciantes e simpatizantes a meditadores comprometidos. Você compartilha da nossa aspiração? Não podemos fazer isso sem o seu apoio.

O Sobre Budismo é independente, imparcial, voluntário, sem fins lucrativos e é suportado por leitores e ouvintes como você. Faça uma doação financeira e ajude a manter todo o nosso conteúdo gratuito e acessível a todos. Você ainda receberá recompensas por isso.


RECEBA NOVIDADES POR EMAIL

Para receber dicas, citações, podcasts, artigos, eventos, dicas de leitura, indicação de filmes, cursos online e presenciais, cadastre-se em nossa lista:

*Você também receberá um manual de meditação passo a passo para iniciantes no email de confirmação.

   

GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, conteúdo e conhecer outros simpatizantes budistas? Entre no grupo do Telegram clicando no link:
https://t.me/sobrebudismo


Sou praticante do budismo desde 2011, quando criei o projeto Sobre Budismo. Minha missão é te ajudar a despertar sua verdadeira natureza iluminada através dos ensinamentos dos mestres, mestras e do Buda para, assim juntos, beneficiarmos todos os seres.

2 Comentários

Deixe o seu comentário