fbpx
Palavras de compaixão

#1 – Acostumando-se com a mudança

Sabe qual é a origem do nosso sofrimento? Querer agarrar o que por natureza está em movimento constante.

Uma de minhas mestras, Jetsunma Tenzin Palmo diz:

Impermanência. Tentamos fazer com que as coisas fiquem do jeito que estão, nos agarramos à ideia de permanência. Normalmente, somos muito resistentes à ideia de mudança, em especial de mudança naquilo que prezamos. Claro que gostamos de que as coisas mudem, quando se trata de algo de que não gostamos; mas, quando é algo de que gostamos, seguramos.

– Jetsunma Tenzin Palmo

Ou seja, tudo está sempre mudando, tudo é impermanente, todos nós sabemos disso. O ponto é: como podemos lidar com isso?

Observando sobre a minha forma de lidar com a mudança, a primeira coisa que me recordo é do desconforto.

Não é fácil lidar com a mudança quando ela se aplica as coisas que gostamos.

Lembro quando as coisas mudaram repentinamente no meu trabalho e fui mandado embora.

Tenho várias experiências para compartilhar, mas no momento esse exemplo consegue ilustrar o que quero dizer.

Tenho várias experiências para compartilhar, mas no momento esse exemplo consegue ilustrar o que quero dizer.

Ficarmos à vontade com o fluxo das coisas, ficarmos à vontade ao estarmos inseguros, essa é a maior segurança, pois nada pode nos tirar do prumo.

– Jetsunma Tenzin Palmo

É uma sensação horrível, parece que fiquei sem chão. O que iria fazer a partir daquele momento?

Quando aprendemos a lidar com a impermanência, ou seja, quando ficamos seguros e tranquilos pelo fato de que as coisas sempre irão mudar, tanto a que gostamos, quanto as que não gostamos, entramos em um estado de calma por saber que essa é a verdadeira natureza das coisas.

Não adianta entender isso apenas intelectualmente. Precisamos sentir isso em nossa experiência, essa tranquilidade para lidar com a mudança.

É simples? Não. É fácil? Não. É Rápido? Não. Mas é possível e acessível.

Minha mestra diz:

Ai está o segredo, como aprender a lidar com a impermanência?

Somente quando aceitarmos e entendermos profundamente em nosso ser, que as coisas mudam de momento a momento e nunca param um instante sequer, só então conseguiremos soltar. E, quando realmente soltamos dentro de nós, o alívio é enorme.

– Jetsunma Tenzin Palmo

Precisamos soltar a ideia de que as coisas devem ficar paradas, represadas, presas, imóveis, permanentes.

Para isso precisamos nos familiarizar, refletir e meditar sobre o fato da mudança.

Nosso corpo muda, nossa mente, muda, nossa vida muda, tudo muda. Pense em cada detalhe em vários níveis.

Reflita sobre a mudança de forma detalhada e aplicada a todos os aspectos da sua vida, família, trabalho, amigos, financeiro, amoroso….

Aspiro que você possa colocar isso em prática.

É a mudança de deixar de segurar com muita força para segurar bem de leve.

– Jetsunma Tenzin Palmo

Deixe seu comentário sobre como você lida com a mudança sobre as coisas que você gosta. Sua participação é super importante para o nosso site, pois sua opinião e comentário importam para nós. Gratidão!


BOLETIM ONLINE 1-1-1-1-1

Se você é simpatizante ou iniciante no Budismo e deseja receber conteúdo para te ajudar a aplicar os ensinamentos budistas no cotidiano e a lidar com as adversidades do dia a dia, cadastre seu email e receba indicações de: 1 Podcast – 1 Citação – 1 Café com Dharma – 1 Gotas de sabedoria – 1 Live. (Você também receberá um guia de meditação passo a passo para iniciantes)

   

ESSE CONTEÚDO TE BENEFICIOU OU GEROU ALGUM VALOR? SE A RESPOSTA FOR SIM, PODEMOS PEDIR SEU APOIO?

O Sobre Budismo é um projeto sem fins lucrativos. Nossa missão é compartilhar a sabedoria dos ensinamentos do Buda, mestres e mestras contemporâneos - inspirar, confortar, apoiar e esclarecer os temas budistas aos leitores. Nossa aspiração é manter o SobreBudismo.com.br disponível para todos, inspirando e apoiando o acesso a todos os interessados, de iniciantes e simpatizantes a meditadores comprometidos. Você compartilha da nossa aspiração? Não podemos fazer isso sem o seu apoio.

O Sobre Budismo é independente, imparcial, voluntário, sem fins lucrativos e é suportado por leitores e ouvintes como você. Faça uma doação financeira e ajude a manter todo o nosso conteúdo gratuito e acessível a todos.


SE VOCÊ É SIMPATIZANTE, CURIOSA(O) OU INICIANTE, NÃO SABE POR ONDE COMEÇAR E DESEJA RECEBER UM ACOMPANHAMENTO ONLINE, EM GRUPO, PASSO A PASSO PARA INICIANTES, DO BÁSICO AO AVANÇADO, SOBRE BUDISMO:


GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, conteúdo e conhecer outros simpatizantes budistas? Entre no grupo do Telegram clicando no link:


Sou praticante do budismo desde 2011, quando criei o projeto Sobre Budismo. Minha missão é te ajudar a despertar sua verdadeira natureza iluminada através dos ensinamentos dos mestres, mestras e do Buda para, assim juntos, beneficiarmos todos os seres.

7 Comentários

  • Adriano Muniz

    Só tenho que agradecer as orientações e ensinamentos de seus mestres que vens dando, pois ainda com a minha mente agitada, tenho pequenos bolsões de clareza de percepção e compreendo com o que escreve nesse exercício constante de reflexão.

  • Márcio K.

    Quanto à compreensão da impermanência… como é difícil entender isso, para além da mera compreensão intelectual… Mas vamos em frente, com a lanterna dos ensinamentos! Gratidão!

  • Angela

    Muito bom o texto sobre impermanência da vida.
    Estou com certa dificuldade de lidar com as limitações da idade.
    O desejo de permanecer com as mesmas agilidades de antes me deixa triste.Porem esse texto foi perfeito.
    Não tinha pensado nos ganhos da aposentadoria,” uma vida leve ,um maior tempo para fazer as coisas q aprecio e q tanto desejava fazer qdo tivesse tempo….
    praticar o esporte q deixei na juventude , dedicar aos meus hobbys.
    Grato pela mensagem.

  • Talles Correa

    Eu ainda possuo muitas dificuldades, principalmente com recordações do passado, coisas boas que se foram e também as coisas ruins que ficam me incomodando, o jeito é ir aos poucos aceitando a vida como ela é: impermanente.

Deixe o seu comentário