fbpx
Budismo Tibetano

A empatia atravessa paredes

A habilidade que nos faz humanos não é meramente a nossa capacidade de sentir. Ora, os animais sentem como nós: eles amam, desejam, sofrem com a perda, têm dor e morrem.

São, portanto, seres que percebem e captam o mundo ao seu redor através dos sentidos; são seres sencientes.  Nós, humanos, somos do mesmo jeito e, por vezes, esquecemos que também nos creditamos nas fileiras biológicas do reino animal.

O que nos difere dos demais é o nível elevado de consciência que podemos atingir, gerando sentimentos como a empatia.

E esta é uma palavra que hoje “está na moda”. Está na boca do povo e, devido a este anestesiamento com o termo sendo usado de novo e de novo, seu significado vai perdendo igualmente sua força motriz.

Ela, a empatia, caminha além das margens do “sentir pena” ou da solidariedade. É a extensão energética da nossa humanidade enquanto adjetivo. É quando vemos o outro como parte integrante e inseparável de nós, onde o ego não mais reside.

“A empatia nos permite ultrapassar as diferenças e nos conectar como iguais. Isto acontece, então, atravessando diretamente as paredes que construímos ao nosso redor e nos permitindo tocar o núcleo da nossa igualdade: a capacidade de experimentar dor e alegria”.

O mestre tibetano Ugyen Trinley Dorje, o 17º Karmapa, lançou esta ideia em seu livro “Interconectado: Abraçando a vida em nossa sociedade global” (em livre tradução para o português), pontuando que não há separação entre quem escreve e quem lê, quem nasce e quem morre, quem é pleno e quem sofre, quem acorda e quem dorme.

Associada à compaixão, a empatia é uma das virtudes que se abre por si só. Não é possível ensiná-la em livros, ou aulas ou retiros. A empatia pode ser apenas vivenciada.


BOLETIM ONLINE 1-1-1-1-1

Se você é simpatizante ou iniciante no Budismo e deseja receber conteúdo para te ajudar a aplicar os ensinamentos budistas no cotidiano e a lidar com as adversidades do dia a dia, cadastre seu email e receba indicações de: 1 Podcast – 1 Citação – 1 Café com Dharma – 1 Gotas de sabedoria – 1 Live. (Você também receberá um guia de meditação passo a passo para iniciantes)

   

ESSE CONTEÚDO TE BENEFICIOU OU GEROU ALGUM VALOR? SE A RESPOSTA FOR SIM, PODEMOS PEDIR SEU APOIO?

O Sobre Budismo é um projeto sem fins lucrativos. Nossa missão é compartilhar a sabedoria dos ensinamentos do Buda, mestres e mestras contemporâneos - inspirar, confortar, apoiar e esclarecer os temas budistas aos leitores. Nossa aspiração é manter o SobreBudismo.com.br disponível para todos, inspirando e apoiando o acesso a todos os interessados, de iniciantes e simpatizantes a meditadores comprometidos. Você compartilha da nossa aspiração? Não podemos fazer isso sem o seu apoio.

O Sobre Budismo é independente, imparcial, voluntário, sem fins lucrativos e é suportado por leitores e ouvintes como você. Faça uma doação financeira e ajude a manter todo o nosso conteúdo gratuito e acessível a todos.


SE VOCÊ É SIMPATIZANTE, CURIOSA(O) OU INICIANTE, NÃO SABE POR ONDE COMEÇAR E DESEJA RECEBER UM ACOMPANHAMENTO ONLINE, EM GRUPO, PASSO A PASSO PARA INICIANTES, DO BÁSICO AO AVANÇADO, SOBRE BUDISMO:


GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, conteúdo e conhecer outros simpatizantes budistas? Entre no grupo do Telegram clicando no link:


Sou praticante do budismo desde 2011, quando criei o projeto Sobre Budismo. Minha missão é te ajudar a despertar sua verdadeira natureza iluminada através dos ensinamentos dos mestres, mestras e do Buda para, assim juntos, beneficiarmos todos os seres.

Um comentário

  • Rebeca Carvalho

    Olá, Breno. Como vai você?
    Me admira pessoas como você! Amei o post.
    É realmente, o ato de você enxergar com os olhos da outra pessoa, se colocar no lugar dela como igual pode mudar o mundo! Continue com os posts, e… paz.

Deixe o seu comentário