fbpx
Palavras de compaixão

#9 – Duas perguntas para aprender a lidar com o medo

Perguntaram a nossa querida mestra Jetsunma Tenzin Palmo: Quando medito, às vezes vejo esse vazio e fico com medo. O que posso fazer a respeito disso?

Resposta

Não acho que seja ruim experimentar o medo. É bastante comum sentir medo quando meditamos. É o ego que está com medo de morrer. E ele está certo por ter medo porque ele vai morrer.

O ego teme que seus jogos sejam descobertos por isso entra em pânico. Quando estamos na crista de algum novo entendimento, ele sempre entra em pânico. Mas esse pânico não é algo ruim.

Em vez de seguir o pânico, tendo um chilique ou o que seja, podemos tentar ficar presentes no momento com aquele pânico, com uma mente muito compassiva e gentil, permitindo que o medo surja, reconhecendo, aceitando e ficando com ele.

O importante é não tentar nos dis- trairmos dele. É natural querermos fazer alguma coisa para distrair nossa mente do medo. Mas, sempre que fazemos isso, estamos nos configurando para passar por experiências semelhantes mais vezes.

É melhor apenas sentar em silêncio e tentar encarar o medo. Pergunte de onde ele vem e quem está com medo. Essa é uma grande pergunta a fazer se você tem medo.

Minha experiência

Lembro-me de algumas vezes estar de frente com emoções negativas e de querer sair correndo ou me distrair ou entreter com algo para fugir do desconforto de encarar aquilo que estava sentindo.

Esse é o nosso primeiro impulso quando estamos sofrendo por algo, correr.

Mas ao fazer isso, como a iluminada Jetsunma Tenzin Palmo disse, você acaba gerando o hábito de levar aquela mesma forma de lidar com os problemas para outras situações.

Na minha experiência a melhor forma de aplicar esse ensinamento é olhar diretamente para o que está causando desconforto naquele momento.

Fique um pouco só se possível, observe com gentileza o que você está sentindo, seja bondoso com seu desconforto.

Se você correr dele, será pior, pois só fará com que fique escondido e aumentando com o passar do tempo.

Ao olhar para o seu sofrimento com coragem, sei que não é fácil, mas é possível, você aprenderá a lidar com o que quer que surja dentro de você.

Essa é uma prática muito sutil e poderosa. Vamos aplicar os ensinamentos desses grandes mestres.

As duas perguntas chaves

1 – DE ONDE VEM ESSE [SENTIMENTO, SOFRIMENTO, DESCONFORTO]

2 – QUEM ESTÁ EXPERIMENTANDO ISSO?

Vamos praticar?


VOCÊ GOSTARIA DE TER UM ACOMPANHAMENTO ONLINE, EM GRUPO, COM UM TUTOR, DENTRO DE UMA ESTRUTURA ORGANIZADA, PASSO A PASSO COM ENSINAMENTOS BUDISTAS DO BÁSICO AO AVANÇADO?


ESSE CONTEÚDO TE BENEFICIOU OU GEROU ALGUM VALOR? SE A RESPOSTA FOR SIM, PODEMOS PEDIR SEU APOIO?

O Sobre Budismo é um projeto sem fins lucrativos. Nossa missão é compartilhar a sabedoria dos ensinamentos do Buda, mestres e mestras contemporâneos - inspirar, confortar, apoiar e esclarecer os temas budistas aos leitores. Nossa aspiração é manter o SobreBudismo.com.br disponível para todos, inspirando e apoiando o acesso a todos os interessados, de iniciantes e simpatizantes a meditadores comprometidos. Você compartilha da nossa aspiração? Não podemos fazer isso sem o seu apoio.

O Sobre Budismo é independente, imparcial, voluntário, sem fins lucrativos e é suportado por leitores e ouvintes como você. Faça uma doação financeira e ajude a manter todo o nosso conteúdo gratuito e acessível a todos. Você ainda receberá recompensas por isso.


RECEBA NOVIDADES POR EMAIL

Para receber dicas, citações, podcasts, artigos, eventos, dicas de leitura, indicação de filmes, cursos online e presenciais, cadastre-se em nossa lista:

*Você também receberá um manual de meditação passo a passo para iniciantes no email de confirmação.

   

GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, conteúdo e conhecer outros simpatizantes budistas? Entre no grupo do Telegram clicando no link:
https://t.me/sobrebudismo


Sou praticante do budismo desde 2011, quando criei o projeto Sobre Budismo. Minha missão é te ajudar a despertar sua verdadeira natureza iluminada através dos ensinamentos dos mestres, mestras e do Buda para, assim juntos, beneficiarmos todos os seres.

Deixe o seu comentário