• Podcast Iluminação Diária

    #193 – Somos parte de tudo

    #193 – Somos parte de tudo

     
     
    00:00 / 7:55min
     
    1X

    Na vida moderna, tendemos a pensar que somos donos do nosso corpo, que podemos fazer o que quisermos com ele. No entanto, nosso corpo não é apenas nosso. Ele pertence aos nossos ancestrais, aos nossos pais e às gerações futuras. E também pertence à sociedade e a todos os demais seres vivos. As árvores, as nuvens, o solo e todos os seres vivos contribuíram para a presença do nosso corpo. Devemos comer com cuidado, sabendo que somos cuidadores do nosso corpo, em vez de seus donos. 

    Ensinamentos de Thich Nhat Hanh

  • Podcast Iluminação Diária

    #192 – Como lidar com conflitos

    #192 – Como lidar com conflitos

     
     
    00:00 / 6:40min
     
    1X

    Pergunta: Com relação a conflitos, então, o melhor é deixar passar?

    Genshō Sensei: A gente não alimenta fogueira. Se alguém quer fazer uma fogueira, então está bem, faça uma fogueira. Mas a lenha de quem quer fazer fogueira vai acabar em algum momento.  ós não vamos colocar mais lenha. Nós não colocamos nada porque na realidade é tolice. Os conflitos sempre são coisas que surgiram de dentro das pessoas que a gente não sabe qual é a origem verdadeira. Mais ou menos, como a história do homem do posto de gasolina, eu não sabia o que tinha dentro dele. Então quando ele disse que perdeu o filho, eu só podia sentir compaixão por ele. Enquanto eu não sabia dessa informação, ele só era um homem que gritava, queria brigar. Em mim a resposta era a mesma coisa, de preparação para briga, preparação para luta. A essência é não entrar no jogo do outro, não participar disso.

    Ensinamentos de Monge Genshô

  • Podcast Iluminação Diária

    #191 – Desenvolvendo uma mente presente em todas as ações do cotidiano

    #191 – Desenvolvendo uma mente presente em todas as ações do cotidiano

     
     
    00:00 / 5:39min
     
    1X

    Para cultivar a atenção plena, podemos fazer o mesmo de sempre (caminhar, sentar, trabalhar, comer…) com percepção consciente do que estamos fazendo. Ao comer, sabemos que estamos comendo. Ao abrir uma porta, sabemos que estamos abrindo uma porta. Nossa mente está conectada às nossas ações. Quando comemos uma fruta, tudo o que precisamos é atenção plena para nos darmos conta disto: “Estou com uma maçã na boca.” Nossa mente não precisa estar em nenhum outro lugar. Se você está pensando no trabalho enquanto mastiga, não estará comendo com atenção plena. Ao prestar atenção na maçã, estará sendo consciente. Então, você pode ir mais fundo e, em pouquíssimo tempo, você verá as sementes da maçã, o lindo pomar, o céu, o fazendeiro, o responsável pela colheita e assim por diante. Quanto trabalho em uma única maçã!

    Ensinamentos de Thich Nhat Hanh

  • Palavras de compaixão

    Como sair do piloto automático e ter uma vida significativa em 5 passos simples

    Você já se pegou fazendo algo de forma distraída, de qualquer jeito, no piloto automático?

    Nós, enquanto estamos comendo, olhamos o celular, quando estamos no celular, queremos comer. Essa é a maneira desatenta e automática que agimos a maior parte do tempo.

    Entrar no piloto automático nos faz viver de forma vazia, pois não aproveitamos os pequenos momentos. Eles passam desapercebidos por nós e é justamente nesses detalhes que a mágica da vida acontece.

    Quando estamos atentos ao momento presente, respirando consciente, nos abrimos a cada detalhe da vida. Uma simples xícara de chá se torna algo completo, uma oportunidade para praticarmos a plena atenção.

    Digo isso, mas, na verdade, sou muito desatento e vivo me policiando, tentando trazer minha mente para o presente através da respiração consciente. É um trabalho diário e constante, ainda mais com família, filhos, responsabilidades, casa para cuidar, problemas diários e distrações vindas de todas as partes. Fora as questões da mente, orgulho, inveja, apego, ciúmes, carências.

    Por outro lado, sei que é totalmente possível, mesmo tendo uma vida comum, com tudo isso que disse, praticar os ensinamentos do Buda, atenção plena, respiração consciente. Podemos aplicar os ensinamentos a qualquer momento.

    Quero te mostrar agora 5 passos simples, que busco praticar, para você aplicar no dia a dia, sair do piloto automático e ter uma vida mais significativa.

    1. Atenção a respiração: a primeira coisa que você deve fazer é acostumar-se com a meditação de atenção plena à respiração. Para aprender, clique no link a seguir: Como praticar a meditação da respiração.
    2. Atenção aos detalhes: apenas estando atento você poderá perceber os detalhes, os sabedores, as sensações, as cores, suas emoções, o movimento dos seus pensamentos, os lugares, as pessoas. Cada momento é único e não volta, sabendo disso, aproveitamos tudo da forma mais presente, focada e atenta possível.
    3. Esteja aberto: quando achamos que já sabemos tudo, acabamos nos fechando para novas oportunidades e aprendizados. Quanto mais nos abrimos, mais temos a chance de expandir nosso conhecimento, pontos de vista, criatividade, possibilidades e novas coisas, isso irá te ajudar a fazer novas conexões e a manter boas relações, que é o nosso próximo passo.
    4. Cultivar boas relações: certa vez, assisti a uma palestra do TED com o Doutor Robert Waldinger sobre, “do que é feita uma boa vida?”, baseado em uma pesquisa feita durante 70 anos, e mostrou que o fator chave para as pessoas chegarem ao fim da vida, bem, de forma saudável, era mantendo boas relações. Então, cultive boas relações, isso tornará sua vida mais significativa.
    5. Aceitar a si mesmo: todos temos coisas boas e ruins. Precisamos nos aceitar, perceber que manifestamos tudo, inveja, orgulho, ciúmes, apegos, mas também coisas boas, generosidade, paciência, amorosidade, empatia. Aceitar que em nossa condição humana, podemos manifestar tudo isso, é fundamental para reduzir nossa culpa e autojulgamento. Também precisamos buscar melhorar diariamente lado negativo para melhorarmos a cada dia. Isso nos ajudará a ter uma vida com sentido.

    Praticando esses 5 passos simples, você poderá sair do piloto automático e ter uma vida mais significativa aproveitando todos os detalhes que ela tem a oferecer. Como tudo passa e é impermanente, podemos viver e aproveitar cada detalhe como se fosse o último. Já pensou ficar velhinha(o) e quando chegar no fim, perceber que desperdiçou a dádiva de cada momento?

  • Podcast Iluminação Diária

    #190 – O universo inteiro se alinhou para isso acontecer

    #190 – O universo inteiro se alinhou para isso acontecer

     
     
    00:00 / 8:34min
     
    1X

    Com apenas um pouquinho de consciência plena, você poderá enxergar verdadeiramente de onde vem o pão que come. Ele não vem do nada. O pão vem dos campos de trigo, do trabalho duro e também do padeiro, do fornecedor e do vendedor. No entanto, o pão é mais do que isso. O campo de trigo precisa de nuvens e luz do sol. Portanto, num pedaço de pão, há luz do sol, nuvens, o trabalho do agricultor, a felicidade de se ter a farinha, a habilidade do padeiro e (milagrosamente!) o pão. O universo inteiro se alinhou para que esse pedaço de pão parasse em suas mãos. E não é necessário refletir muito para chegar a essa conclusão. Você deve apenas impedir que sua mente se perca em preocupações, pensamentos e planejamentos.

    Ensinamentos de Thich Nhat Hanh

  • Palavras de compaixão

    4 passos para praticar atenção plena em qualquer experiência do dia a dia

    Quando estou lavando louça, organizando uma gaveta ou praticando caligrafia sagrada tibetana, tento praticar atenção plena. Nem sempre consigo, mas é uma busca diária.

    Muitos acreditam que os ensinamentos budistas são complexos ou difíceis de serem aplicados e só Monges, Lamas, Mestres ou Gurus conseguem, na verdade, o Dharma (ensinamentos) do Buda podem ser praticados por qualquer pessoa.

    Tudo começa pela respiração

    Como o grande mestre Vietnamita, Thich Nhat Hanh, explica:

    “Enquanto inspira, você pode se conectar ao seu corpo. Traga sua mente de volta para a casa do seu corpo e lembre-se que tem um corpo”
    – Thich Nhat Hanh

    Na minha experiência, faço da seguinte forma, vamos supor que eu esteja praticando caligrafia sagrada tibetana:

    1. Quando estou fazendo cada traço com o pincel, começo relaxando e focando na respiração, nas sensações do meu corpo, no toque da minha mão no papel, da tinta passando pela superfície, vou sentindo tudo e respirando naturalmente;
    2. Depois ao executar um movimento, permaneço com o corpo quieto, continuo respirando naturalmente e relaxando;
    3. Por fim, mantenho o foco da minha atenção na minha inspiração e isso traz vivacidade para a minha mente.

    “Inspirando, estou atento ao meu corpo como um todo. Expirando, estou atento ao meu corpo como um todo”
    – Thich Nhat Hanh

    Agora vou te mostrar 4 passos simples e práticos para você aplicar atenção plena no seu dia a dia.

    1. Relaxamento: inicie qualquer atividade focando nas sensações do corpo, no contato com a superfície que você estiver, cadeira, chão, cama, qualquer lugar, vá respirando naturalmente e relaxando.
    2. Movimente-se com atenção: procure, ao executar uma tarefa, movimentar-se de forma atenta a cada instante, perceba todos os movimentos que você faz com os braços, pernas, tronco, o ambiente ao seu redor.
    3. Vivacidade: se sua mente estiver letárgica ou cansada, foque na inspiração, pois isso ajudará a manter sua mente mais atenta e alerta. Já, se sua mente estiver agitada ou ansiosa, mantenha sua atenção expiração, vá soltando todas as tenções e continue respirando naturalmente.
    4. Recordar: a chave é recordar-se o tempo todo da respiração, mas de forma consciente, prestar atenção na entrada e saída do ar pelas narinas, nos seus movimentos, no ambiente, estar atento o tempo todo e alerta. Pratique isso sempre que se lembrar, no trânsito, sentado, comendo, trabalhando, lembre-se vez após vez.

    “Quando você está presente e concentrado(a), você pode entrar em contato profundo com as maravilhas dentro de si e à sua volta.”
    – Thich Nhat Hanh

    Você pode aplicar esses 3 passos em todas as experiências do dia a dia, pois quando fazemos tudo com atenção plena, presentes, conscientes, aproveitando cada momento, temos mais gratidão, felicidade e contentamento pela vida.

    Me conte, quais são as atividades que você mais se distrai no dia a dia?

  • Podcast Iluminação Diária

    #189 – A chave da felicidade

    #189 – A chave da felicidade

     
     
    00:00 / 6:01min
     
    1X

    Se você estiver triste, ansioso, ou solitário, pode ser que ache que precisa corrigir ou mudar algo em sua mente. Se os seus ombros estão rígidos, se suas costas doem, você pode achar que tudo o que precisa é de um médico que lhe ajude a consertar essa parte do seu corpo. No entanto, a chave da felicidade é estar totalmente integrado ao corpo e à mente. Grande parte do nosso sofrimento vem de uma desnecessária cisão da mente em relação à matéria. Nós pensamos que há algo errado em nossa mente, ou que algo está errado em nosso corpo, e que temos de corrigir ou de curar aquela coisa específica. Mas é impossível remover a mente do corpo ou o corpo da mente. Pois estas são duas manifestações de uma mesma coisa.

    Ensinamentos de Thich Nhat Hanh

  • Podcast Iluminação Diária

    #188 – Tudo o que consumimos atua para nos curar ou envenenar

    #188 – Tudo o que consumimos atua para nos curar ou envenenar

     
     
    00:00 / 5:34min
     
    1X

    Tudo o que consumimos atua para nos curar ou nos envenenar. Nós tendemos a pensar em nutrição apenas como o que absorvemos através de nossas bocas, mas o que consumimos com nossos olhos, ouvidos, narizes, línguas e corpos também é comida. As conversas que acontecem ao nosso redor e as que participamos também são comida. Estamos consumindo e criando o tipo de alimento saudável e que nos ajuda a crescer? 

    Ensinamentos de Thich Nhat Hanh

  • Podcast Iluminação Diária

    #187 – A importância de agradecer as refeições

    #187 – A importância de agradecer as refeições

     
     
    00:00 / 11:16min
     
    1X

    Primeiro,
    Inumeráveis trabalhadores nos trouxeram esta comida
    Devemos saber como chegou até nós

    Segundo,
    Devemos considerar se nossa virtude e
    Prática a merecem

    Terceiro,
    Como desejamos a condição natural da mente
    Para estar livre de apegos
    Precisamos estar livres de ganância

    Quarto,
    Como um bom remédio
    Para manter nossas vidas
    Aceitamos esta comida

    Quinto,
    Para nos tornarmos o Caminho
    Agora comemos esta comida

    Parte da prece para as refeições da tradição do Budismo Zen

  • Podcast Iluminação Diária

    #186 – Não podemos comprar as coisas mais importantes da vida

    #186 – Não podemos comprar as coisas mais importantes da vida

     
     
    00:00 / 13:55min
     
    1X

    A gente precisa contemplar com cuidado o paradigma econômico. As coisas que realmente importam para nossa vida nós não conseguimos comprar. Se a gente tem dinheiro na mão, a gente não consegue comprar essas coisas, porque elas não estão à venda.

    Não importa quanto dinheiro vocês tenham, vocês não conseguem comprar compaixão, amor, alegria, equanimidade, generosidade, moralidade, paz, energia constante, concentração e sabedoria.

    Vocês não encontram essas qualidades no shopping e elas são essenciais para nós. A gente consegue comprar uma série de coisas com dinheiro, mas as coisas que realmente fazem diferença na nossa vida a gente não consegue comprar.

    Há esse tipo de riqueza que não é financeira. Porque estamos presos no paradigma econômico, parece que toda a riqueza só se expressa financeiramente.

    As coisas que realmente são vitais para nós, não são mercadorias, não podem ser convertidas para um ambiente financeiro, não é possível trocá-las por moeda. Essa é uma constatação muito importante.

    Ensinamentos do Lama Padma Samten