Paz interior, a mudança está em nós.

Paz interior, a mudança está em nós.


Pinterest

“Não precisamos olhar muito longe para vermos exemplos de inquietação e conflitos, eles estão em nossas comunidades, sociedade, no mundo como um todo. Há um excesso de ansiedade e inquietação, e não é o que nós dizemos e queremos que fará com que isso mude, mas o que nós somos.

Ao invés de olhar à nossa volta e dizer que não há paz suficiente, precisamos olhar para dentro de nós e descobrir se temos ou não paz interior. Quando nós conseguirmos alcançar paz em nossa própria vida, então gradualmente a paz prevalecerá em nossa sociedade. Nós podemos nos tornar faróis da paz iluminando o caminho para a felicidade dos outros.

Parece uma fórmula muito simples, no entanto o mistério se encontra em como fazer. Talvez uma das coisas mais difíceis de se alcançar, ou nós costumamos pensar que é. É fácil olhar ao redor e identificar caminhos pelos quais a sociedade poderia ser pacífica, envolvendo principalmente outras pessoas mudando para se tornar o que nós gostaríamos que fossem. É muito mais difícil olhar para dentro e ver o que nós precisamos mudar em nossas vidas para que possamos estar em paz em nosso coração.

Vamos explorar algumas ideias, que podem ser consideradas, para trazermos paz interior. São apenas algumas possibilidades das várias possíveis que podemos por em prática. Talvez, algumas delas vocês já devem ter parado para pensar ou talvez, algumas sejam novidades.

A primeira consiste em tomar toda e completa responsabilidade pelo modo que agimos e reagimos. Ninguém ou nenhuma coisa faz você agir de uma forma específica. Você escolhe a maneira como se comporta. É de sua responsabilidade decidir como você será e portanto como irá agir. Focar em ser e agir de acordo com a sua essência, pode mudar a maneira como você reage às outras pessoas e como você age sob diversas circunstâncias no dia a dia.

Conheça sua essência ao contrário de conhecer seu Ego, suas necessidades ou sua história passada. Separe um tempo para conhecer quem você realmente é; quais são suas paixões, suas alegrias, seus valores, seus objetivos. Esta é uma longa jornada de auto-conhecimento, uma viagem que não tem atalhos. Identificar quais são seus valores te ajudará a entender o que será preciso para mantê-los. Muitas vezes na vida, justamente por não estarmos suficientemente consciente do nosso verdadeiro eu, agimos sob falsas necessidades.

A segunda, consiste em abandonar a droga da vez de nossa sociedade, a adrenalina. Parece que todos nós temos sucumbido à necessidade das coisas acontecerem sempre muito rápido, e estimular que a nossa vida se acelere junto. Viver no limite tem se tornado para muitos o que determina se estamos ou não realmente vivos, se estamos na realidade. Parece que, se não estamos fazendo na máxima velocidade, com o máximo de excitação, então nós, de alguma maneira, não estamos vivos ou não somos reais.

Por não nos conhecermos, ou por estarmos tão desconfortáveis em conviver com nosso eu verdadeiro, mascaramos isto com entusiasmo e excitação. Esteja confortável com você mesmo. Seja o que for que estiver desconfortável, mude. E o lugar para começar a mudança é internamente.

Isto leva à próxima sugestão, que tem a ver com o que te perturba; Existe uma razão para você agir e reagir da maneira que faz. E a razão não está fundamentada fora, mas dentro de você. Conheça a verdade dentro de si mesmo, ela está por trás destas questões que te incomodam. Às vezes, a verdade dura e fria é que você está vendo nos outros as coisas que você não gosta em si mesmo mas que é incapaz de mudar internamente. Nosso ambiente é um reflexo do nosso próprio eu.

Finalmente, priorize sua vida. Pense sobre o restante de seus dias de vida. Vá em frente e faça uma estimativa de quantos dias você espera viver, quantos dias de vida te restam. Agora, como você gostaria de passar esses dias? Você quer que sua vida seja uma soma de coisas realizadas, listas de tarefas concluídas, o tempo gasto correndo atrás de coisas e coisas acumuladas? Ou você prefere olhar para trás e ver uma vida com grandes relacionamentos, experiências maravilhosas, paz e tranquilidade?

O impacto que a sua vida tem nos outros é extremamente subestimado. Sua paz interior, sua calma, seu contentamento ou a falta destas coisas, se espalham ao seu redor. Você pode gerar um impacto significativo no seu ambiente através de mudanças que você realiza em sua vida.

Não é fácil fazer este tipo de mudança, no entanto há um grande benefício em fazer até mesmo uma pequena destas mudanças.”

*tradução livre do texto Inner Peace, do rev. Ryusho Shonin, da Nichiren Shu.

Categories

11 Comments

Add yours
    • 3
      Ícaro Matias

      Se todos agíssemos sob a atenção correta, esforço correto, fala correta e intenção correta, as coisas poderiam efetivamente mudar, não é mesmo? Mas, como conta o texto, se cada um de nós fizermos esta causa, dentro de nossa mente e coração, a mudança irá acontecer. Obrigado, um abraço, Gassho _/\_

  1. 7
    Anderson

    Acompanho há um bom tempo o Sobre Budismo, não me lembro de ter lido um texto tão significativo!
    Me fez lembrar de uma citação de S.S.: “… E quando realmente tivermos desenvolvido uma sociedade pacífica, novas lideranças, vindas desse tipo de sociedade serão mais sensatos. Esta sociedade está repleta de competição, cheia de ganância, cheia de desconfiança. E então liderar também é difícil, não é?
    Não podemos culpar esses líderes. Nós falhamos em criar uma sociedade saudável! Então, a responsabilidade é nossa!”.

+ Leave a Comment