fbpx
Podcast Iluminação Diária

#313 O que você consome pode te curar ou te intoxicar

#313 O que você consome pode te curar ou te intoxicar

 
 
00:00 / 10:23min
 
1X
 

Versão em texto do Podcast:

Olá, sou Leonardo Ota!

Ultimamente eu venho refletindo sobre o que eu leio, o que eu ouço, as músicas, filmes, internet, os inputs que colocamos na nossa mente, todas essas coisas que nós inputamos à nossa mente.

Quando falamos em melhorar a mente, em ter uma mente mais tranquila, mais calma, o mundo que nos cerca é muito influente nessa questão, porque é baseado no que entra na nossa mente que é como ela vai estar.

Por exemplo: eu tenho uma filha bebê de 4 meses, a Brisa. Se eu tratar ela mal, xingar, falar coisas negativas, brigar, olha quantas coisas eu estarei inputando nela! Imagina como fica a mente de um bebê tratado assim? Como esse bebê vai crescer?

Com a nossa mente é a mesma coisa. Baseado em como nós vivemos, o meio em que vivemos (não é apenas o que a gente assiste), as pessoas que convivemos. Isso tudo gera inputs na nossa mente. A todo o tempo vão entrando coisas na nossa mente. 

Inputs à mente e o aspecto espiritual

Vamos trazer esse contexto para o aspecto espiritual – quando eu digo espiritual não é sobre “espíritos”, mas sobre um aspecto mais elevado, interno, as questões internas.

Trazendo para o aspecto da espiritualidade (aqui no caso eu falo do budismo), se você não entrar em contato com os aspectos positivos como os do budismo ou de qualquer outra tradição que você acredite, pode ser que você esteja inputando o tempo inteiro coisas negativas para sua mente e para sua vida, ao passo que se você procurar uma tradição espiritual, por exemplo o budismo, cristianismo, hinduísmo, enfim, você irá inputar coisa positivas.Se você começar a entender, compreender, estudar e praticar os ensinamentos budistas, você vai estar inputando na sua mente o que? Compaixão, amor, sabedoria, generosidade, cuidado, amorosidade. 

É importante a gente estar atento porque as coisas negativas, pessoas negativas, ambientes negativos, vão nos intoxicar, fazendo com que nossa mente fique negativa, com conteúdos negativos. Ao passo que se você começar a praticar meditação, estudar, escutar os ensinamentos de Buda, por exemplo, o Budadharma, você pode até estar pensando “ah, como eu desenvolvo generosidade?”, “como eu desenvolvo compaixão, amor, sabedoria?” “como eu supero a ignorância?”. Existem ensinamentos específicos para cada um desses temas.

Nos deixamos levar pelos maus hábitos e intoxicamos a mente

E aí você pode me perguntar “Léo, mas isso é óbvio né?”. Sim, é óbvio, porém nós nos deixamos levar pelos nossos maus hábitos.

Vou só fazer uma observação: eu não estou dizendo o que você deve assistir, o que você deve ou não ouvir, onde você deve ou não ir, você decide. Porém aqui eu dou um ponto de vista, uma perspectiva. Se você estiver no meio de pessoas que estão fofocando o tempo inteiro, falando mal de outras pessoas, mentindo, a sua mente vai se intoxicar com isso. Se você frequentar esse ambiente você vai estar o tempo todo inputando na sua mente essas coisas.

Um filme de morte, assassinato, coisas negativas, com fofoca, traição. Músicas que falam de traição, mentiras, que têm esses aspectos negativos da vida. Se você ficar o tempo inteiro ouvindo, vendo, conversando sobre isso, você está intoxicando sua mente, você está inputando na sua mente o tempo inteiro coisas negativas. Não sei se você já parou pra pensar nessa possibilidade. 

A mente pode ser limpa e curada

Quando você começa a estudar meditação, ler um livro, por exemplo, livros do Dalai Lama, você começa a ouvir palestras sobre budismo, conhece a vida do Buda, a mente vai mudando. Vai completar dez anos que eu estou diariamente em contato com os ensinamentos de Buda, o Dharma. E aos pouquinhos, a cada dia, vai melhorando os aspectos da minha vida, curando vários níveis da minha mente, tanto coisas mais profundas quanto coisas mais superficiais.

Eu lembro quando comecei a praticar zazen. Para você entender, eu comecei no budismo tibetano há 9 anos, depois mudei para o zen, e no zen a prática principal se chama zazen, que significa meditação sentada. Eu comecei a praticar zazen com muita assiduidade, principalmente nos primeiros meses, praticando muito. E de repente, eu estava um dia fazendo alguma coisa, veio na minha mente uma discussão negativa que eu tive com um amigo há dez anos atrás. Aí eu achei interessante, porque era uma coisa do passado, há dez anos. Mas tudo bem, deixei aquilo para lá. Aì no dia seguinte a mesma coisa. Esses pensamentos surgiam não logo após a meditação, mas no dia a dia, quando eu estava fazendo alguma coisa aleatória. Outro dia veio a lembrança de uma briga com a minha mãe que tem não sei quantos anos, uns vinte anos atrás. E começou a acontecer isso com uma frequência. 

Aí eu mandei mensagem para meu mestre, o Monge Genshô. Falei “Sensei, tá acontecendo isso, é normal?”. Ele falou “Sim, é normal que isso aconteça porque você tá praticando e se aprofundando numa prática mais intensa, que é o zazen, você está entrando em contato com coisas mais profundas da sua mente, do seu subconsciente, você tá indo mais lá embaixo.” Ele até comentou que tem pessoas que às vezes, por exemplo, choram porque se recordam de coisas de quando eram crianças! Então isso é normal, você está mexendo lá no fundo, lá embaixo. Eu achei aquilo super interessante. Quando você vai entrando em contato com essas práticas, você vai limpando e curando a sua mente.

Eu vou trazer a questão da cura como uma limpeza. Porque a gente só coloca coisas para dentro da nossa mente, mas a gente não limpa ela. 

A meditação é a limpeza da mente

Você toma banho diariamente para não cheirar mal, não é? E a sua mente, você limpa? 

Sabe o que ajuda nessa limpeza da mente? A meditação.

Então se você entrar em contato com os ensinamentos, se diariamente vê alguma coisinha, uma palestra, um video no youtube, lê um livro, traz os ensinamentos para o seu dia a dia,  você está inputando coisas que vão limpar e curar a sua mente, e naturalmente se você tiver uma mente tranquila, organizada, estável, calma, a sua vida vai ser assim. 

A nossa vida externa é o reflexo de como é a nossa mente. Quando você está bagunceiro externamente, pode saber que a sua mente está confusa. Estão acontecendo coisas na sua mente que você não está sabendo lidar, ela está confusa. Ao passo de que quando você está praticando mais, está ouvindo os ensinamentos, você está se alimentando disso, se curando com coisas positivas, com o Dharma. Com isso a sua mente vai se tranquilizando, a sua vida vai andar mais, porque sua mente estará mais estável, então você vai fazer as coisas com mais cuidado, mais atenção, mais zelo e com mais respeito. 

A prática beneficia a nós e ao mundo

É extremamente importante nós consumirmos coisas (estou usando a palavra “consumo”, do capitalismo, mas é só para ilustrar isso: ouvir, ler, falar com pessoas, ir em lugares) que vão nos ajudar, que vão nos curar, para que nós tenhamos a capacidade de, quando irmos a lugares negativos e conversar com pessoas negativas, nós termos esse cuidado e compaixão com essas pessoas.

A prática nada mais é do que desenvolver uma mente que é capaz de beneficiar o mundo, as pessoas e o ambiente. O que adianta você desenvolver paciência só para você? A gente tem que desenvolver qualidades para aplicar e oferecer ao mundo. Para ajudar a si mesmo e também ajudar ao mundo.

Aspiro que de alguma forma tudo isso que eu falei te dê uma perspectiva. Se você não concorda com o que eu disse aqui, não tem problema, porque não é verdade absoluta, é apenas baseado nos ensinamentos, no estudo do Dharma e na minha própria experiência.

Um grande abraço, até a próxima!

☸️Fundador do Sobre Budismo, praticante do Budismo desde 2011, venho ajudando simpatizantes e iniciantes no #Budismo a entrarem em contato com as práticas e os ensinamentos de #Buda (Dharma).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *