Mesma essência, distintas manifestações

Mesma essência, distintas manifestações


Pinterest

Mesma essência, distintas manifestações
Tulku Orgyen Rinpoche

Se nossa natureza búdica está além da delusão e da libertação não podemos dizer que em essência somos primordialmente iluminados?

Possivelmente, poderíamos ter sucesso em convencer a si próprios através de tais truques filosóficos. No entanto, isso não é realmente verdadeiro uma vez que nós já nos extraviamos para dentro de um caminho. Se nunca tivéssemos caído em confusão poderíamos legitimamente alegar sermos primordialmente iluminados. Porém, infelizmente, é tarde demais para fazermos tal afirmação. Nossa preciosa jóia realizadora de desejos já caiu no lodo mal-cheiroso.

A Iluminação Primordial significa que a base original e a fruição são idênticas e que não há um caminho de delusão a ser eliminado. Isso é definitivamente diferente da nossa situação na qual já extraviamos para dentro de um caminho e, portanto, precisamos eliminar a delusão para chegar a fruição. Tomemos o exemplo de uma miríade de jóias: algumas estão cobertas de lodo, algumas estão limpas. Todas elas são jóias, mas cada uma é distintivamente individual. A mente dos seres senscientes percebe as coisas de forma individual. Portanto, temos que dizer que são separadas.

Este é um bom exemplo – percebermos todos os seres e Buddhas como incontáveis jóias, algumas cobertas de sujeira, outras limpas. Elas não são idênticas apesar de terem as mesmas qualidades. Se as mentes de todos os seres senscientes fossem uma única mente, então, quando um indivíduo atingisse a iluminação, todos os outros deveriam ser libertados no mesmo instante. No entanto, se você atingir a iluminação, isso não significa que eu serei iluminado. Entenda da seguinte forma: Ainda que os seres tenham qualidades semelhantes, não somos um. Nós temos a mesma essência, que é vazia e ciente, porém nossa forma de manifestação é separada e distinta da de outro ser sensciente. Se eu reconhecer a natureza de Buddha e atingir a iluminação não significa que outra pessoa também a reconhecerá e atingirá a iluminação. Peço desculpas por isso! Se os seres compartilhassem a mesma essência e manifestação, quando alguém atingisse a iluminação todos os outros também atingiriam.

Somos como ouro puro espalhados em diferentes lugares: igual qualidade porém em peças separadas. Da mesma forma, a água: as propriedades da água são idênticas. No entanto, há água em diversas localizações no mundo. Ou pense no espaço dentro de diferentes casas – o mesmo espaço porém com variadas configurações. A qualidade ciente e vazia da mente é idêntica mas a ‘forma’ em torno dela é distintivamente individual. Algumas jóias foram sortudas, outras caíram no lodo.

Do livro “Repeating the Words of Buddha” de Tulku Orgyen Rinpoche
Traduzido do tibetano para o inglês por Erik Pema Kungzang
Tradução para o português pelo Lama Jigme Lhawang

Categories

1 comment

Add yours

+ Leave a Comment