Harmonia religiosa


Pinterest

Harmonia religiosa, Dalai Lama - Blog Sobre Budismo

Trechos do discurso de Sua Santidade o Dalai Lama, no seminário ecumênico da Associação Internacional para a Liberdade Religiosa, do Grupo Ladakh, Leh em 25 de agosto.

Traduzido por Denise Kountakis da equipe Sobre Budismo de tradução.

Texto original em inglês: Religious Harmony

––

Uma mente preconceituosa não pode compreender a realidade

Estou extremamente feliz por participar deste seminário ecumênico sobre a Preservação da Harmonia Religiosa, Co-existência e Paz Universal organizado pela Associação Internacional para a Liberdade Religiosa (IARF), do Grupo Ladakh. Muito obrigado pela explicação detalhada da história da associação, atividades, objetivos e sua relevância no século atual. Eu não tenho nada a acrescentar sobre o que os oradores disseram anteriormente. Mas eu gostaria de dizer algumas coisas.

Estamos agora no século XXI. A qualidade da pesquisa, em ambos mundos interior e físico atingiu níveis muito altos, graças ao enorme passo no avanço tecnológico e da inteligência humana. No entanto, como alguns dos oradores disseram antes, o mundo também está enfrentando uma série de novos problemas, a maioria dos quais são feitos pelo homem. A causa raiz destes problemas artificiais é a incapacidade dos seres humanos para controlar suas mentes agitadas. Como controlar tal estado de espírito é ensinado pelas várias religiões do mundo.

Eu sou um praticante religioso, que segue o budismo. Mais de mil anos se passaram desde que as grandes religiões do mundo floresceram, incluindo o Budismo. Durante esses anos, o mundo testemunhou uma série de conflitos, nos quais seguidores de diferentes religiões também foram envolvidos. Como praticante religioso, reconheço o fato de que diferentes religiões do mundo têm proporcionado muitas soluções sobre como controlar uma mente agitada. Apesar disso, eu ainda sinto que não temos sido capazes de perceber o nosso potencial pleno.

Eu sempre digo que cada pessoa neste mundo tem a liberdade de praticar ou não praticar religião. Isso é certo de qualquer maneira. Mas uma vez que você aceita a religião, é extremamente importante ser capaz de focar a sua mente na sua doutrina e sinceramente praticar os ensinamentos em sua vida diária. Todos podemos ver que temos a tendência de entrar em favoritismo religioso, dizendo: “Eu pertenço a esta ou aquela religião”, ao invés de nos esforçarmos para controlar nossas mentes agitadas. Este mau uso da religião, devido a nossas mentes perturbadas, às vezes também cria problemas.

Eu conheço um físico Chileno que me disse que não é apropriado para um cientista ser tendencioso em relação à ciência por causa de seu amor e paixão por ela. Eu sou um praticante budista e tenho muita fé e respeito pelos ensinamentos do Buda. No entanto, se eu misturar o meu amor e apego ao budismo, então minha mente inclinará para ele. Uma mente preconceituosa, que nunca enxerga o quadro completo das coisas, não pode compreender a realidade. E qualquer ação que resulta de tal estado de espírito não estará em sintonia com a realidade. Como tal, provoca uma série de problemas.

De acordo com a filosofia budista, a felicidade é o resultado de uma mente iluminada enquanto o sofrimento é causado por uma mente distorcida. Isto é muito importante. Uma mente distorcida, em contraste com uma mente iluminada, é aquela que não está em sintonia com a realidade.

Qualquer problema, incluindo atividades políticas, econômicas e religiosas que os seres humanos buscam neste mundo, deve ser entendido completamente antes de o julgarmos. Portanto, é muito importante saber as causas. Seja qual for o problema, devemos ser capazes de ver o quadro completo. Isto irá permitir-nos compreender toda a história. Os ensinamentos oferecidos no budismo são baseados em racionalidade e eu acho que são muito proveitosos.

Hoje, um grande número de pessoas de diferentes origens religiosas estão aqui presentes. Em todas as religiões, há coisas transcendentes que estão além do alcance de nossa mente e linguagem. Por exemplo, o conceito de Deus no cristianismo e do islamismo e do corpo de sabedoria no Budismo, são metafísicas, que não é possível para pessoas comuns como nós percebermos. Esta é uma dificuldade comum enfrentada por todas as religiões. É ensinado em todas as religiões, incluindo o cristianismo, o budismo, o hinduísmo e o islamismo, que a verdade última é impulsionada pela fé.

Eu quero enfatizar que é extremamente importante para os praticantes acreditar sinceramente em suas respectivas religiões. Normalmente, eu digo que é muito importante fazer a distinção entre “crença em uma religião” e “crença em muitas religiões”. O primeiro contradiz diretamente o último. Portanto, devemos resolutamente resolver essas contradições. Isso só é possível por pensar em termos contextuais. A contradição em um contexto pode não ser o mesmo na outra. No contexto de uma pessoa, uma única verdade está intimamente associada com uma única fonte de refúgio. Isto é de extrema necessidade. No entanto, no contexto da sociedade ou mais de uma pessoa, é necessário ter diferentes fontes de refúgio, religiões e verdades.

No passado, não era um grande problema porque as nações permaneciam afastadas umas das outras com as suas próprias e distintas religiões. No entanto, no mundo tão próximo e interligado de hoje, há muitas diferenças entre as várias religiões. Devemos, obviamente, resolver estes problemas. Por exemplo, tem havido uma grande quantidade de religiões na Índia durante os últimos milhares de anos. Algumas delas foram importadas de fora, ao passo que outras foram criadas na própria Índia. Apesar disso, o fato é que essas religiões têm sido capazes de conviver umas com as outras, e com o princípio de Ahimsa, a não-violência, tem realmente florescido no país. Ainda hoje, esse princípio tem uma forte influência sobre todas as religiões. Isto é muito precioso e a Índia deve realmente se orgulhar disto.

Ladakh tem sido uma área predominantemente budista durante tantos séculos. Mas outras religiões como o islamismo, o cristianismo, o hinduísmo e sikhismo têm também florescido aqui. Embora seja natural para as pessoas de Ladakh ter apego e amor a suas próprias religiões, ainda assim este local tem um ambiente muito tranquilo, sem grandes problemas de intolerância religiosa. Durante a minha visita inaugural à Ladakh, ouvi muçulmanos idosos utilizarem a expressão “comunidade de sangha” em seus discursos. Embora tais frases não sejam encontrados no Islã, ainda assim uma referência deste tipo invoca muita confiança entre os budistas. Portanto, pessoas de diferentes formações religiosas em Ladakh estão muito próximas uma das outras e vivem em harmonia.

No que se diz respeito aos muçulmanos, é apropriado que eles tenham total devoção a Alá enquanto oram em suas mesquitas. Isto também é válido aos budistas que são completamente devotados a Buda quando rezam em templos budistas. A sociedade, na qual há muitas religiões também deve ter muitos profetas e fontes de refúgio. Em tal sociedade, é muito importante ter harmonia e respeito entre as diferentes religiões e seus praticantes. Devemos distinguir entre crença e respeito. Crença se refere à fé total na qual você deve ter em sua própria religião. Ao mesmo tempo, você deve ter respeito por todas as outras religiões. Esta tradição de acreditar em sua própria religião e ter respeito pelos outros já é existente em Ladakh, desde seus antepassados. Portanto, você não tem que inventar. A coisa mais importante no momento é preservar e promover esta tradição. Eu gostaria de agradecer a todos vocês por terem trabalhado tão duro a este respeito e pedir-lhes para continuar a fazê-lo no futuro.

Se uma relação harmoniosa se estabelece entre as sociedades e crenças religiosas no mundo multi-étnico, multi-religioso e multi-cultural atual, então isto irá certamente definir um bom exemplo para os outros. No entanto, se todos os lados se tornarem descuidados, poderá existir o perigo de problemas iminentes. Em uma sociedade multi-étnica, o maior problema está entre a maioria e a minoria. Por exemplo, na capital Leh, os budistas constituem a maioria da população enquanto que os muçulmanos pertencem à comunidade minoritária. A maioria deve considerar a minoria como seus convidados. A minoria, por outro lado, deve se sensibilizar com a maioria. Em outras palavras, ambos os lados devem viver em harmonia. Para sustentar essa harmonia, ambos os lados devem levar em consideração as questões sensíveis entre si. Na verdade, a maioria deve prestar atenção e apreciar ao ponto de vista e opinião da minoria. Ambos os lados deve discutir e expressar claramente o que eles pensam sobre o ponto de vista e opinião do outro. A minoria, por outro lado, deve ser cuidadosa sobre as questões sensíveis da maioria e lhes expressar quais são suas dúvidas. Se os problemas forem resolvidos de maneira amigável, ambos os lados irão ganhar. Suspeitas um do outro só vai prejudicar ambas as comunidades. Portanto, é muito importante viver em harmonia e analisar qual é a opinião do outro. A melhor maneira de fazer isso é se engajar em diálogo, diálogo e diálogo.

Categories

+ There are no comments

Add yours