Arquivos :: Quem cuida do Sobre Budismo? :: Mandala tibetana como treinamento da mente :: Técnica para reduzir ansiedade ::

Sobre Budismo : Budismo, meditação, mente e alívio da ansiedade

As 6 Perfeições – Caridade


O Dharma é muito útil para sua vida diária se você compreendê-lo. Alguns ensinamentos, como “As Quatro Nobres Verdades” ou “Nobre Caminho Óctuplo” podem ser ouvidos em qualquer tipo de templo budista, como templos budistas chineses, coreanos, tailandeses, tibetanos, no Laos, em Camboja, templos Theravada ou templos Mahayana. Isso é porque esses ensinamentos são o básico sobre a doutrina budista.

A partir de hoje, gostaria de compartilhar com vocês algumas ideias peculiares ao Budismo Mahayana.

Você sabe por que **atualmente** budismo **é** dividido em dois ensinamentos, que são Theravada e Mahayana? Vamos contar um pouco sobre a história do budismo. O histórico Buda Shakyamuni nos deixou o seu Dharma e faleceu cerca de 2.500 anos atrás, na Índia. O seu Dharma é filosoficamente muito interessante. Por isso, muitos sacerdotes que eram discípulos de Buda se deleitavam debatendo e estudando tanto que se tornaram focados em apenas estudar o Darma. A maioria dos monges se tornaram grandes eruditos.

Como resultado, eles se esqueceram das pessoas a serem salvas através do Dharma. As pessoas queriam ouvir os ensinamentos do Buda. Mas, os sacerdotes não se preocupavam com essas pessoas. Então, finalmente, alguns líderes leigos do povo e sacerdotes que sentiam que a sua missão era propagar o Dharma para as pessoas comuns, iniciaram um movimento chamado “Budismo Mahayana”. Esses líderes foram chamados de “bodhisattvas”, que são pessoas que estão buscando a mesma iluminação do Buda e não apenas a sua própria iluminação, mas também a iluminação de outras pessoas e seres. Seu conceito fundamental é o respeito e a compaixão por todas as coisas e é a prioridade máxima no Budismo Mahayana, ou seja, para nossa Escola também.

A prática budista elementar do bodhisattva Mahayana é chamada de “Seis Paramitas”. “Paramita” significa alcançar a outra margem. Esta margem é como este mundo, cheio de corrupção e sofrimento. A outra margem é comparável ao mundo da iluminação. Portanto, os “Seis Paramitas” são seis maneiras de alcançar a outra margem, a margem da iluminação.

As seis maneiras são “caridade, preceitos, tolerância, esforço, meditação e sabedoria”. Hoje, vamos falar sobre o Paramita da caridade.

Geralmente, em nossa sociedade, “dar e receber” é o senso comum. Mas, o conceito para os bodhisattvas não é “dar e receber”, mas sim “dar e dar”. Você não deve esperar algo em troca de ninguém quando você der algo para eles. Isso é o paramita de doar, em outras palavras, a caridade. O caminho budista da caridade está na doação.

Vou contar a minha experiência quando estava em meu primeiro treinamento para me tornar um sacerdote budista. Eu tinha 23 anos e os outros jovens tinham principalmente 21 anos. Todos éramos Shami. Durante a formação, precisávamos fazer tarefas, tais como a limpeza dos nossos quartos e banheiros, mas ninguém gostava de limpar os banheiros porque eram sujos e fedorentos.

Como ninguém queria limpar, os banheiros ficaram muito sujos. Fiquei tão chateado com isso que finalmente decidi limpar os banheiros. Quando finalmente eles ficaram limpos eu me senti bem. Se ninguém quer fazer isso, vou fazê-lo. Eu decidi. Assim se tornou fácil. Na verdade, a limpeza dos banheiros foi fácil. Era só um pouco mal cheiroso.

É isso. Então, quando me viram limpando os banheiros todos os dias, os outros se sentiram culpados e se ofereceram para me ajudar. Apreciei sua proposta, pois eu não esperava que mais alguém me ajudasse.

Olhe ao seu redor. Existem muitas coisas e tarefas para você fazer, tais como preparar refeições, limpar sua casa, lavar roupa ou louça. Essas coisas são realmente fáceis de fazer. Não é um grande trabalho, em comparação com o sofrimento inevitável que vamos acabar encontrando em nossas vidas, como a despedida de nossos pais e entes queridos.

“Dar e dar” é o conceito budista básico de caridade. Se você pratica desta forma, você será capaz de, finalmente e naturalmente ter maior liberdade dos desejos mundanos.

Para conseguir a paz no mundo, é mais importante respeitar os outros e ter compaixão. Esta é a atitude fundamental do budismo Mahayana, ou seja, a nossa.

Respeitar-se e respeitar os outros. Ter e demonstrar a sua compaixão para com os outros. Esse é o primeiro passo para realizar a paz em sua mente e se todos têm esse espírito, a paz no mundo vai estar ali. Como budistas Mahayana, vamos fazer a prática da paramita da caridade juntos e contribuir na realização da paz no mundo.

*texto traduzido e adaptado de Rev. Imai Shonin da Nichiren Shu Havaí

Pinterest




Nos encontre também: facebook | instagram | youtube | twitter | podcast | email | rss