Aí é do Buddhismo do Dalai Lama?

Aí é do Buddhismo do Dalai Lama?


Pinterest

Não foi uma única vez que recebi um telefonema assim: – Alô, é do centro buddhista?
– Sim, pois não.
– Eu gostaria de fazer uma visita, aprender a meditar, praticar o Buddhismo.
– Claro, seja bem-vinda.
– Aí é do Buddhismo tibetano, não é?
– Não, aqui é um centro primariamente do Buddhismo do sudeste asiático, conhecido como Theravada.
– Ah! Pensei que era de Buddhismo tibetano…
– Não é, não.
– Pois é, eu queria era Buddhismo tibetano. Eu li um livro do Dalai Lama, e queria frequentar um lugar exatamente como este que o Dalai Lama ensina, um Buddhismo sem rituais, sem cerimônias, sem coisas místicas, algo simples e direto, sabe? Igual o do Dalai Lama. Vou procurar o Buddhismo tibetano… Obrigado, então. (Desliga o telefone).

Bem… Ã… Ok… Não deu tempo para explicar algumas coisas sobre o Buddhismo para ela. Mas quem sabe dará tempo para explicar algumas coisas para você, leitor. Quer ouvir?

Você já deve ter ouvido que o Buddhismo consiste de várias escolas, não? Se a resposta for negativa, corra para ler este artigo: A Que Escola Pertenço?

As escolas ou tradições buddhistas surgiram em diferentes regiões, culturas e épocas da história. Elas são diferentes, cada qual tem seu aroma próprio, suas práticas e modo de ver os ensinamentos passados pelo Buddha. No entanto, existe um núcleo que é comum a todas.

Este núcleo comum não varia. Pode haver, sim, algumas pequenas diferenças sobre o que consiste detalhadamente esse núcleo comum, se este ou aquele item em particular é parte desse núcleo, mas, de um modo geral, há uma concordância sobre suas características principais. Quando o Dalai Lama, ou outros nomes conhecidos no Buddhismo Ocidental, como Thich Nhat Hahn, escrevem sobre Buddhismo, a grande maioria de seus livros trata desse núcleo comum, não trata da escola específica em que eles foram formados e praticam. Você está chocado? Pois vou repetir: Aquilo que você lê em muitos livros e sites sobre Buddhismo, incluindo este aqui, apesar de vir rotulado como desta ou daquela escola, muito frequentemente não representa a perspectiva específica de tal escola, mas trata do núcleo comum presente em todas as escolas.

Quatro Nobres Verdades, Interdependência, Compaixão, Não-violência, Cultura de Paz, Sofrimento, Olhar para Dentro, Meditar, etc., fazem parte do patrimônio de qualquer forma ou linhagem de Buddhismo, e são coisas ensinadas em todos os centros buddhistas. Então, para sua decepção, quando você lê um livro do Dalai Lama, ou boa parte de outros livros publicados no Brasil, se você gostar de tal livro não significa que você agora deseja praticar o Buddhismo tibetano, ou seja qual for a escola de seu autor; e o oposto é verdadeiro também, se você não gostar de certo livro, não pense que a linhagem ou escola daquele autor é a que você não se interessa.

Mesmo para quem é muito iniciante isso é importante de saber. Isso evitará muitas decepções em seu caminho. Evitará que você fique chocado por encontrar num centro que você visite elementos nunca mencionados nos livros e sites que você comumente lê supostamente daquela mesma escola, e também evitará que fique chocado por não encontrar elementos que você estava certo de encontrar.

Você gostar de um livro ou ensinamentos aparentemente de certa escola ou tradição, por sua vez, significa que talvez você aprecie aquilo que é comum em todo o Buddhismo e somente conhecendo aquilo que é mais particular a cada escola é que você será capaz de decidir a que melhor lhe serve.

“Caia na Real!” pode ser um ensinamento buddhista indicando a importância de encontrar a verdadeira natureza de todas as coisas, mas também significa que você precisa sair de seu mundo imaginário e saber como as coisas realmente funcionam quando começa a se interessar pelo Buddhismo.

Categories

8 Comments

Add yours
  1. 1
    Silva

    Bom dia. Ótimo artigo. Eu me identifique 100% com o texto. Depois de eu ter lido o livro A arte da felicidade do Dalai Lama, fiquei encantado com o budismo. Fui diretamente aos centros de práticas tibetanas. Eu me senti exatamente como o texto diz, um pouco chocado ao ver uma série de detalhes que não eram citados no livro. Resumindo, visitei outras escolas budistas, chinesa, Chan, até que me encontrei no Zen. Até hoje penso nisso. O simples fato de ter lido o livro do Dalai Lama me deu a falsa certeza de que eu me tornaria um budista tibetano. Só depois de ter conhecido outras escolas é que pude realmente escolher aquela na qual eu mais me identificava. De qualquer modo, o Dalai Lama é um mestre incrível, como eu já li uma vez, ele é considerado como um dos mestres mais completos que já existiu. Ótimo texto. Obrigado.

  2. 3
    Jorge

    excelente texto! a pessoa queria um budismo sem rituais, tipo o tibetano!!?? muito bom!!
    passei por isso também até encontrar o buddhismo que procurava desde o início, o theravada.
    já passa da hora deste tipo de observação ser divulgada no brasil: depois do buddha, muitos buddhismos surgiram… encontre o seu!

  3. 6
    Richard

    Isso é verdade mesmo, o budismo tibetano no caso, é repleto de rituais, superstições e tudo mais, alguns livros antigos ilustram um pouco isso, talvez “O Lama das Cinco Sabedorias” exemplifique bem. Mas cada escola possui sua perspectiva, o que é comum, pois cada um compreende os ensinamentos de uma determinada forma.

  4. 8
    paulo, torres rs

    bem como todos * catolico, fervoroso como aplicações de 90%, com a tempo me dediquei ao espiritismo devido a não ter uma obediencia superiora e caridade mesmo, mas sempre fui apaixonado pelo budismo mesmo sem ter noção, acredito que fui budista em outras passagens, então quando psicografava e recebia prenuncios espirituais recebi uma mensagem que eu deveria não ter religião ou doutrina alguma, estudar todas e assim faço, avaliando sem julgamento o mundo onde o ser humano vive e suas relações a sua volta, adoro todas principalmente o budismo, contemplando sem interferir, ainda não ei qual a dicidencia acompanhar mas todas tem o mesmo fundamento, pra mim osho tambem me revolucionou, onde prega a não regras, perder o medo e saber porque o temos, estar focado no momento, avaliar o que é certo ou errado, o que os iluminados escreveram?( foram seus dicipulos), a dualidade, a aceitação, crenças e misticismo.
    -então quem precisa de escola?- liberte-se, voce não precisa de agremiações e louvores. (entenda humildade e simplicidade), não espere nada e faça tudo o principal ponto se quiser voce viverá a vida toda em saber sobre vaidade, egoismo e humildade.

+ Leave a Comment