fbpx
Podcast Iluminação Diária

#316 Acho que eu vacilei muito na vida passada

#316 Acho que eu vacilei muito na vida passada

 
 
00:00 / 08:33min
 
1X
 

Versão em texto do Podcast:

Acho que eu vacilei muito na vida passada

Olá, tudo bem? Aqui é o Leonardo Ota.

Eu recebi esse comentário de um rapaz no instagram @sobrebudismo: “Acho que eu vacilei muito na vida passada” e eu achei muito interessante.

Eu nem quero entrar na questão do carma em si, se há vidas passadas, se não há, como o carma funciona. Se você pesquisar aqui no site você vai encontrar alguns podcasts Iluminação Diária falando sobre isso.

O que eu gostaria realmente de falar é que, independente das suas ações passadas, se é de uma outra vida ou dessa mesma vida, o que importa para o budismo é o momento presente, é o agora. Independente se no passado você fez coisas boas ou fez coisas ruins, isso não importa para o budismo em relação ao agora.

Para o budismo, o que importa é o agora

O que importa agora é o que você vai plantar. 

Quais as sementes cármicas – carma significa ação – quais as ações você vai fazer aqui, no momento presente? Essa é a pergunta que nós devemos nos fazer! Porque o que já foi, nós já fizemos, não há como voltar no passado e alterar – por enquanto não dá, né? Nós não temos uma máquina do tempo!

Porém, nesse exato momento, nós podemos plantar ações positivas, podemos fazer coisas com nosso corpo, fala, mente, que são as ações que nós fazemos através dessas três portas, e a partir disso gerar carma positivo, ou seja resultado positivo.

O resultado do carma se chama carma vipaka, que são os frutos da ação que você fez.

O que precisamos fazer agora

Vamos supor que você queira ter mais harmonia na sua família, nas suas relações, no seu trabalho, estar em paz com você mesmo e com o mundo. Se você no passado não teve isso, o que você vai precisar fazer? 

Plantar novas ações agora, a partir desse momento. E as coisas negativas que acontecem com você, no momento presente, você tem a oportunidade de não perpetuá-las.

Vamos supor que alguém fale mal de você, reclame de você. Você não irá perpetuar essa situação negativa. Como?

Treinando sua mente no momento presente, através de meditação. Assim você terá uma mente mais focada, mais tranquila para lidar com aquela situação e devolver de uma forma positiva, benéfica, aquela ação negativa que você recebeu. Nós podemos fazer isso.

Se uma pessoa te agride verbalmente, fala mal de você, e você devolver na mesma moeda, você perpetua isso.

Agora, vamos supor que você plantou um carma de falar mal de alguém, xingar, tratar mal as pessoas. Isso foi uma ação, um carma. Você vai colher essa ação.

No budismo, como isso funciona, em quanto tempo o carma amadurece, se é nessa vida ou em outra, quando você pensa “ah eu xinguei uma pessoa, então quando o carma amadurecer eu vou ser xingado”, tudo isso é bem complexo. Mas há uma coisa que você precisa realmente saber sobre o carma.

O que você precisa saber sobre o carma

O que você precisa entender é que, de forma geral, o “básico” do carma é isto: 

  • Se você fizer ações negativas, você vai colher ações negativas. 
  • Se você fizer ações virtuosas, você vai colher virtudes. 

´É só isso que você precisa entender do carma.

O que devemos fazer com o carma negativo

Se você colheu um fruto do carma negativo é porque você falou mal de várias pessoas, fofocou, tratou várias pessoas mal. Se você faz isso, em algum momento da sua vida você vai colher. 

Quando você colher esse carma negativo, você tem a oportunidade de devolver ou de pegar aquilo que você recebeu e oferecer em troca compreensão, compaixão, amor, sabedoria.

Porque se você colher um fruto negativo e devolver negatividade para outra pessoa, para se vingar, para descontar, você vai perpetuar esse carma negativo.

Para mudar o carma negativo, você precisa mudar suas ações, suas atitudes, agora, nesse momento. A partir de agora você está plantando ações positivas e os frutos dessa ação, o carma vipaka, vão ser positivos. Não é muito difícil de entender.

Nós só colhemos o que plantamos

A gente não precisa de algo complexo para entender o carma, quando amadurece, porque, qual o mecanismo, se ele se manifesta nesta vida ou em outra, isso não importa! 

O que importa é você entender que, se você planta uma semente de soja não há como nascer uma bananeira!

Se você plantar algo negativo, não há como nascer algo positivo. É mais simples do que pensamos, mas a gente quer entender toda a complexidade, essa “teia” do carma, como funciona…

É a mesma coisa a energia que chega na lâmpada da sua casa. Você sabe como funciona a energia elétrica? Como a energia chega, a potência, os fios condutores? Isso não importa, o que importa é que você aperta o interruptor e a luz acende, e se apertar de novo ela apaga. Isso é o mais importante, a não ser que você seja um engenheiro elétrico, um técnico eletrônico, etc.  

De forma geral, nós pessoas comuns, só precisamos entender que a lâmpada acende e nós temos que pagar uma conta de energia, e a partir disso nós vamos pensar em outras coisas que são mais importantes para nós do que o entendimento do funcionamento da lâmpada.

Assim é o nosso entendimento do carma.

Meditação e carma

Porque é tão importante treinar a mente, meditar? Porque quando temos mais atenção, uma mente mais tranquila, mais foco, o que acontece? As nossas ações são mais focadas, mais cuidadosas.

Se você for mais cuidadoso com suas ações, vai plantar sementes positivas e vai gerar carma positivo.

Espero que tudo isso que eu disse te dê a perspectiva de que não importa o que você fez ou quem você foi, o que importa é:

Quais as atitudes você está tomando na sua vida agora? Você está plantando carma positivo agora? 

O que já foi não tem como mudar, só há como mudar o agora para você colher os frutos dessa ação de agora.

Um grande abraço, até a próxima!

☸️Fundador do Sobre Budismo, praticante do Budismo desde 2011, venho ajudando simpatizantes e iniciantes no #Budismo a entrarem em contato com as práticas e os ensinamentos de #Buda (Dharma).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *