Sobre Budismo : Budismo, meditação, sabedoria e compaixão para o cotidiano

A arte de meditar – É possível mudar?


By Jigme Wangchuck (Leonardo Ota)

É possível mudar? Matthieu Ricard - Blog Sobre Budismo

O texto a seguir foi extraído do livro, “A arte de meditar”, por Matthieu Ricard, página 14.

A verdadeira questão não é então se “Queremos mudar?“, mas “É possível mudar?”. Podemos, com efeito, imaginar que as emoções perturbadoras estão intimamente associadas á mente que seria impossível livrarmo-nos delas, a menos que destruíssemos uma parte de nós mesmos.

É certo que nossos traços de caráter geralmente mudam pouco. Se observados com alguns anos de intervalo, raros sãos os coléricos que se tornam pacientes, os atormentados que encontram a paz interior ou os pretenciosos que passam a ser humildes. Entretanto, por mais raro que seja, alguns mudam, e a mudança que neles se opera mostra que não se trata de algo impossível.

Nossos traços de caráter perduram enquanto não fazemos nada para melhorá-los e deixamos nossa indisposição e nosso automatismo se manter, até mesmo ganhar força a cada pensamento, dia após dia, ano após ano. Mas eles não são intangíveis.

A malevolência, a avidez, o ciúme e outros venenos mentais fazem, indiscutivelmente, parte de nossa natureza, mas há diferentes formas de fazer parte de alguma coisa. A água, por exemplo, pode conter cianureto e nos levar a morte imediata. Entretanto, misturada com um remédio, cura-nos. Por si mesma, ela nunca se tornou tóxica nem medicinal. Os diferentes estados da água são temporários e anedóticos, como nossas emoções, humores e traços de personalidade.

Compartilhe sua experiência ou opinião

Deixe um comentário contando sua experiência, opinião ou dúvida.





Nos encontre também: podcast | facebook | instagram | youtube | twitter | email | rss